Oferecimento
13/01/2020 - 16h17

Astros levam multa, perdem escolhas de Draft e têm técnico e GM suspensos por roubo de sinais

Após investigação interna, a MLB divulgou uma das mais pesadas punições de sua história ao campeão da temporada 2017

A Major League Baseball divulgou nesta segunda-feira (13) punições pesadas para o Houston Astros, em decorrência da investigação pelo uso irregular de tecnologia para roubo de sinais durante a temporada 2017, ano em que a franquia conquistou a World Series.

O pacote inclui as suspensões por um ano do técnico da equipe, A.J. Hinch, e do general manager Jeff Luhnow, ambos sem receber salários durante o período. A punição vale já para a temporada de 2020 e se encerra após o último jogo da World Series. Segundo nota da liga, não houve evidências de que o dono da franquia, Jim Crane, estava ciente da “trapaça”.

Além disso, os Astros perderão suas escolhas de primeira e segunda rodadas do Draft da MLB deste ano e de 2021 e serão multados em US$ 5 milhões, valor máximo previsto dentro do regulamento da liga. Nenhum atleta deve ser punido e a equipe não receberá punições esportivas, ou seja, não perderá vitórias ou o título de 2017.

Em novembro do ano passado, o ex-arremessador do Houston Astros Mike Fiers afirmou que o time trapaceou durante a campanha vitoriosa de 2017 ao utilizar uma câmera para roubar sinais de equipes adversárias. Fiers hoje joga pelo Oakland Athletics.

A tecnologia, supostamente utilizada pelo time de Houston, envolveria uma câmera no campo central fornecendo imagens para uma tela instalada no caminho entre o dugout e o vestiário dos Astros. Outra possível evidência apresentada coloca jogadores e outros funcionários da franquia texana “denunciando” certos tipos de arremessos adversários via sinais sonoros.

Em nota à imprensa, o comissário da MLB, Rob Manfred, explicou a punição. “Eu acho que a conduta dos Astros e sua direção merece uma punição significativa. A direção foi notificada expressamente em setembro de 2017 de que eu os consideraria responsáveis por quaisquer violações a nossas políticas sobre roubo de sinais e essas pessoas não fizeram nada para garantir que os jogadores e funcionários respeitassem essas políticas durante a pós-temporada de 2017 e a temporada regular de 2018. A conduta descrita aqui faz com que torcedores, jogadores, executivos de outras franquias e membros da mídia levantem questões sobre a integridade dos jogos em que os Astros participaram. E mesmo que seja impossível determinar se essa conduta de fato impactou nos resultados dentro de campo, a percepção de algo assim causa um dano significante ao esporte”.

Luhnow e Hinch estão proibidos de prestar quaisquer serviços aos Astros ou a outras franquias durante a suspensão. Também, não terão acesso a estádios ou centro de treinamentos da MLB, ligas menores e mesmo Spring Training, além, é claro, de não poderem viajar com o elenco em qualquer situação. Fica expresso ainda que, caso o nome deles volte a ser envolvido em violações no futuro, eles será banidos de forma permanente.

Em parte da nota da MLB, há um trecho que diz que A.J. Hinch não concordava com o uso do vídeo para roubo de sinais e chegou a quebrar um monitor para demonstrar sua reprovação. Mesmo assim, foi punido já que não fez nada para impedir que a prática continuasse.

Outros dois nomes são citados pela MLB. Um deles é Alex Cora, atual manager do Boston Red Sox. Em 2017, Cora fazia parte da comissão técnica dos Astros e, segundo a liga, estava envolvido no escândalo. Uma possível punição, entretanto, só será anunciada após outra investigação, que envolve caso de roubo de sinais praticados pelos Red Sox em 2018, ano em que também foram campeões. Segundo Jeff Passan, da ESPN americana, o técnico dos “meias vermelhas” pode receber uma suspensão pior que as anunciadas hoje.

Outro nome é o de Brandon Taubman, ex-assistente de GM de Houston, também suspenso por um ano, mas neste caso por conduta inapropriada e sexista com repórteres mulheres após o título da Liga Americana na última temporada. Taubman foi demitido pelos Astros na época.

Segundo a MLB, os Astros cooperaram ‘totalmente’ com a investigação, que envolveu mais de 60 testemunhas, incluindo jogadores, equipe técnica e pessoas que faziam parte da direção da franquia em 2017. Foram analisados ainda mais de 70 mil e-mails e também mensagens de celular.

ATUALIZAÇÃO

O dono do Houston Astros, Jim Crane, anunciou as demissões de A.J. Hinch e Jeff Luhnow em coletiva de imprensa na tarde desta segunda. De acordo com Mark Feinsand, do MLB.com, Joe Espada, que atuava como técnico de banco da equipe, deve assumir como manager interinamente. “Isso não irá se repetir durante minha supervisão”, afirmou Crane sobre o escândalo.

*Atualizado em 13 de janeiro de 2020, às 17h13

(Imagem: reprodução vídeo)

Oddsshark