Oferecimento
24/10/2019 - 23h34

Astros demitem GM assistente após comentários inapropriados

Comemorar contratação de jogador suspenso por violência doméstica custou emprego nos Astros

Se o Houston Astros esperava um pouco de paz no dia de folga em que a equipe viaja do Texas para Washington tendo reverter desvantagem de 2 a 0 na World Series contra o Nationals, a quinta-feira (24) trouxe o oposto. Tentando acabar com um problema que já dura três dias, a franquia anunciou a demissão de Brandon Taubman, general manager assistente que envolveu-se em polêmica após um comportamento nada apropriado no sábado (19).

Logo após o triunfo sobre o New York Yankees que fechou a ALCS em 4 a 2 para os Astros, classificando a franquia para a segunda World Series em três anos, Taubman comemorou de forma nada inteligente. Ele virou-se para três repórteres que estavam no vestiário, uma delas utilizando uma pulseira roxa para alertar contra a violência de gênero, e gritou diversas vezes as seguintes frases: ‘Graças a Deus, trouxemos o (Roberto) Osuna! Eu estou tão feliz que trouxemos o Osuna!”, mencionando o ex-closer do Toronto Blue Jays.

Osuna foi suspenso por 75 jogos pela Major League Baseball por violar a política de violência doméstica da MLB enquanto defendia os Blue Jays, e a acusação contra ele só foi abandonada porque a vítima recusou-se a viajar do México ao Canadá para prestar depoimento. Ele foi trocado para Houston enquanto cumpria a suspensão e, no jogo em questão, sofreu duas corridas e chegou a permitir o empate dos Yankees antes de Jose Altuve conseguir o walk-off home run que selou o triunfo por 6 a 4 dos Astros.

Inicialmente, a franquia defendeu seu funcionário, alegando que a reportagem de Stephanie Apstein, da Sports Illustrated, estava equivocada. De acordo com a primeira nota de Houston, Taubman na verdade estava defendendo o arremessador em meio a uma entrevista. No entanto, outras testemunhas confirmaram que não havia entrevistas, e que as frases foram gritadas de forma direcionada para as repórteres, o que fez com que o time voltasse atrás.

Nesta quinta-feira, um novo comunicado foi divulgado, com a mudança de postura. “Nossa investigação inicial nos fez crer que os inapropriados comentários de Brandon Taubman não foram direcionados a qualquer repórter. Nós erramos. Pedimos sinceras desculpas para Stephanie Apstein, à Sports Illustrated e a todas as pessoas que presenciaram o incidente ou ofenderam-se com a conduta inapropriada. Os Astros de forma alguma desejam minimizar questões relacionadas à violência de gênero”, garante o texto.

“Nossa posição inicial baseou-se em depoimentos de pessoas que testemunharam o caso. Outras entrevistas confirmaram que os inapropriados comentários de Taubman foram, de fato, direcionados a uma ou mais repórteres. Assim, encerramos a relação profissional de Brandon Taubman com os Astros. Sua conduta não reflete os valores da organização, e acreditamos que essa é a forma mais apropriada de agir”, destaca a nota oficial.

A primeira declaração da franquia foi no caminho contrário, apontando que a revista tentava criar uma história. Taubman, por sua vez, confirmou a frase, pediu desculpas, mas disse que estava apoiando Osuna e que foi mal interpretado. O mea-culpa ficou a cargo do general manager Jeff Luhnow. “A reação original dos Astros foi errada, e arcamos com isso como organização”, resumiu ele, antes de concluir o raciocínio. “A pessoa responsável pelos comentários inapropriados foi demitida pelos Astros. Essa é a ação que tomamos neste momento. Não sei o que ocorrerá no futuro”, admitiu.

Crédito da imagem: Reprodução/Youtube

Oddsshark