26/03/2019 - 20h35

[ESPECIAL] Mock Draft NFL 2019 do The Playoffs #5

Confira os palpites de Diego Bonetti para o Draft, considerando os maiores rumores pós free agency aberta

O Draft de 2019 da NFL começa em 25 de abril, e não se fala em outra coisa na Liga. Afinal, quem seu time escolherá na primeira rodada do recrutamento? O Mock Draft do The Playoffs tentará descobrir!

Nosso objetivo é tentar te ajudar a entender melhor as possibilidades. Toda semana, teremos mock novo, com diferentes redatores do TP, explorando também diferentes possibilidades.

Na parte 5 do nosso mock, Diego Bonetti apresenta os seus palpites já baseado nas contratações da Free Agency da NFL de 2019 e andamento dos Pro Days das principais universidades americanas. Muita coisa pode ter mudado nesta última semana e você poderá observar isso já nesta previsão – desde a escolha 1.

Confira a análise e como ficaria a seleção dos prospectos segundo ele:

MOCK DRAFT NFL 2019: THE PLAYOFFS 

#1 – Arizona Cardinals: Kyler Murray (QB – Oklahoma)

O talento de Kyler Murray é indiscutível. Atual vencedor do Heisman Trophy, o produto de Oklahoma se mostrou uma ameaça às defesas adversárias no college football, tanto passando quanto correndo. As críticas quanto à sua adaptação na liga profissional iam de encontro à sua baixa estatura. No entanto, após sua apresentação no Combine e, posteriormente, em seu Pro Day, o ceticismo parece ter ficado de lado. Muito elogiado pelo head coach dos Cardinals, Kliff Kingsbury, o quarterback deverá assumir o posto de líder do ataque de Arizona, fazendo com que Josh Rosen busque um recomeço na NFL em outra franquia.

#2 – San Francisco 49ers: Quinnen Williams (DT – Alabama)

Uma ótima dor de cabeça para os 49ers. Com o cenário de Kyler Murray ser selecionado na primeira escolha, John Lynch e Kyle Shanahan podem selecionar aqui o maior talento de toda classe de 2019. A dúvida estaria em torno do melhor edge rusher do Draft, Nick Bosa, e maior carência da equipe, ou Quinnen Williams, jogador dominante que atua pelo interior da linha. Com a adição de Dee Ford, em troca realizada com os Chiefs, os Niners solucionam o problema de seu pass rush e podem contar com um jogador que tem tudo para seguir os passos de Aaron Donald, defensor que mudou a posição de defensive tackle na liga profissional.

#3 – New York Jets: Nick Bosa (EDGE – Ohio State)

Os Jets adorariam descer no draft e acumular mais escolhas no recrutamento de 2019. No entanto, um belo presente cai no colo do lado verde de Nova York na terceira escolha. Uma vez cotado a ser a primeira escolha geral, Nick Bosa ainda estaria disponível para os Jets no momento de sua seleção. O melhor pass rusher deste draft não deverá ser ignorado por uma franquia que procura desesperadamente por um jogador que se torne o terror dos quarterbacks adversários.

#4 – Oakland Raiders: Josh Allen (EDGE – Kentucky)

Os números de Josh Allen em sua última temporada do college football credenciam o defensor como um dos maiores talentos da posição da classe de 2019. Enfrentando fortíssimos adversários da Conferência SEC na temporada passada, Allen registrou 21,5 tackles para perdas de jardas, 17 sacks e cinco fumbles forçados e chamou a atenção dos scouts antes mesmo do Combine. O atleta confirmou sua qualidade, atleticismo, força e explosão na última série de atividades antes do draft e chega para mudar de patamar a defesa dos Raiders, que teve o pior desempenho derrubando quarterbacks ano passado.

#5 – Tampa Bay Buccaneers: Devin White (ILB – LSU)

Há muitas lacunas a serem preenchidas nos Bucs para próxima temporada. Uma das ausências mais sentidas, certamente, será a saída de Kwon Alexander para os 49ers. Tampa Bay encontra no draft o substituto ideal em Devin White. Melhor linebacker da classe, White é extremamente físico, veloz, e muita capacidade em cobrir sideline a sideline. O produto de LSU chega para assumir a titularidade e se tornar um dos líderes da defesa dos Bucs.

#6 – New York Giants: Dwayne Haskins (QB – Ohio State)

O GM dos Giants, Dave Gettleman, afirmou que gosta muito do modelo desenvolvido pelos Chiefs quando trouxeram Pat Mahomes e o deixaram aprendendo um ano com um quarterback mais experiente. E é exatamente isso que os Giants irão fazer com a sexta escolha do draft de 2019. Em reconstrução, a equipe precisa pensar no substituto de Eli Manning, e enxergam em Haskins o nome certo para o futuro da franquia. O produto de Ohio State lançou 50 passes para touchdown em mais de 4.800 jardas em sua única temporada como titular dos Buckeyes. Passar Sam Darnold e adquirir Saquon Barkley no ano passado não parece ter sido uma má decisão.

#7 – Jacksonville Jaguars: Jawaan Taylor (OT – Florida)

Jacksonville investiu pesado em Nick Foles para conduzir o ataque da equipe e cuidar de sua proteção é mais do que indicado na primeira seleção de draft. O left tackle Cam Robinson ainda é um ponto de interrogação e a posição de right tackle é uma carência a ser endereçada. Os Jaguars não possuem nenhum jogador relevante na posição, e essa escolha pode preencher a lacuna com o melhor OT da classe. Jawaan Taylor tem um ótimo trabalho de pés, força e tamanho ideal para trabalhar no lado direito da linha e dar a segurança que Nick Foles necessita.

#8 – Detroit Lions: Montez Sweat (EDGE – Mississippi State)

O head coach Matt Patricia tenta mudar a cultura em Detroit, adicionando peças defensivas capazes de mudar o patamar da unidade. Após a contratação do DE Trey Flowers na free agency, os Lions selecionam o melhor defensive end disponível no draft. Após uma apresentação impecável no Combine, Sweat ganhou notoriedade e subiu sua projeção nos boards. Diagnosticado com um problema no coração, levantou dúvidas sobre sua longevidade esportiva. Segundo avaliações médicas, entretanto, não é algo que possa comprometer sua carreira. O produto de Mississippi State poderia ser selecionado entre as cinco primeiras escolhas, mas devido ao problema cai um pouco no board. Os Lions assumem o risco e levam um jogador de extrema qualidade na oitava posição.

#9 – Buffalo Bills: Ed Oliver (DT – Houston)

Os Bills têm algumas carências a serem endereçadas nesta offseason. Proteção a Josh Allen e bloqueadores da linha ofensiva estão entre elas. Entretanto, a equipe precisa de renovação no interior de sua linha defensiva. Com a aposentadoria de Kyle Williams, Buffalo não pode deixar passar a oportunidade de contar com a força defensiva de Ed Oliver. Certa vez considerado o mais talentoso deste draft. O tamanho do prospecto de Houston, no entanto, fez com que os scouts levantassem questionamentos sobre sua transição à liga profissional. Oliver é um jogador extremamente habilidoso, técnico e capaz de incomodar muito o quarterback adversário pelo interior da linha.

#10 –  Denver Broncos: Drew Lock (QB – Missouri)

Ninguém nega que John Elway e os Broncos estariam muito interessados pelos serviços de Drew Lock. No entanto, após a chegada de Joe Flacco, a conversa seguiu para outros caminhos. Os Broncos têm outras necessidades no elenco, como tight end e linebacker, mas na décima escolha ainda ter Lock disponível no board é mais do que atrativo para a franquia do Colorado. O cenário seria perfeito para que o prospecto de Missouri aprendesse com o experiente Joe Flacco e fazer os ajustes necessários em seu jogo. Lock tem muita força no braço, mas precisa melhorar sua visão de jogo e precisão. Selecionar seu QB preferido do draft é tudo que John Elway sonhou com a décima escolha geral.

#11 – Cincinnati Bengals: Devin Bush (ILB – Michigan)

Os Bengals enfrentam, já algum tempo, um problema crônico com seu corpo de linebackers. A necessidade de selecionar um jogador da posição no draft só ganhou mais importância com o recente acerto de Vontaze Burfict com o Oakland Raiders. Devin Bush é um jogador explosivo, com ótima leitura de jogadas e capaz de tacklear qualquer jogador que estiver em seu caminho.

#12 – Green Bay Packers: T.J. Hockenson (TE – Iowa)

Após o sucesso de George Kittle, quebrando o recorde de jardas recebidas por um tight end em uma única temporada, os produtos de Iowa serão olhados com muita atenção neste draft. Os Packers cuidaram de sua carência no pass rush com adições importantes na offseason que atendem pelos nomes de Za’Darius Smith e Preston Smith. Desta forma, Aaron Rodgers deve ganhar um reforço importante no plano de ataque. T.J. Hockenson é um tight end completo e o melhor da classe de 2019. Ótimas mãos para receber passes e um exímio bloqueador, Hock será, rapidamente, um dos alvos favoritos de A-Rod em um futuro não muito distante.

#13 – Miami Dolphins: D.K. Metcalf (WR – Ole Miss)

Os Dolphins estão em modo de reconstrução e a equipe necessita de muitos ajustes para podermos chamá-los de time na temporada de 2019. Ryan Tanehill foi envolvido em uma troca, e a chegada de Ryan Fitzpatrick não passa de uma solução a curto prazo. Um QB poderia ser selecionado, mas com Murray, Haskins e Lock fora do board, os Dolphins selecionam um dos jogadores mais impressionantes do Combine. Nos testes de velocidade e força, Metcalf mostrou ser um verdadeiro monstro saindo da jaula, no entanto, os resultados de agilidade do wide receiver decepcionaram. Contudo, a deficiência do produto de Ole Miss não deve ser capaz de fazer com que os Dolphins deixem passar a oportunidade de adquirir seu wide receiver do futuro.

#14 – Atlanta Falcons: Rashan Gary (EDGE – Michigan)

Atlanta necessita de ajuda em sua linha defensiva. Por mais que a equipe tenha aplicado a franchise tag em Grady Jarrett para assegurar a pressão pelo interior da linha, a equipe precisa ser mais contundente contra os quarterbacks adversários. Rashan Gary não é um produto pronto mas possui uma combinação rara de força, explosão e altura. Os Falcons têm necessidade extrema na posição e deixar passar um jogador com uma margem de evolução tão grande seria um erro do front office de Atlanta.

#15 –Washington Redskins: Daniel Jones (QB – Duke)

Se os Cardinals trocarem Josh Rosen, os Redskins seriam os grandes favoritos em adquiri-lo. Por hora, a eventual negociação não parece ter novidades e até por isso, nenhuma troca para subir no draft foi simulada neste mock. Washington acertou com Case Keenum, mas é claro que este não é o futuro da franquia da capital americana. A necessidade na posição é mais do que óbvia e Daniel Jones é o QB que mais agrada o front office dos Redskins. Não ceder escolhas de draft e ainda poder selecionar seu futuro signall caller é tudo que Washington gostaria.

#16 – Carolina Panthers: Noah Fant (TE – Iowa)

Cam Newton se acostumou a anotar touchdowns com a presença de Greg Olsen na end zone adversária. Pois bem, a parceria chegou ao fim com a aposentadoria do tight end. Some-se a isso a partida de Devin Funchess para o Indianapolis Colts, e os Panthers se encontram em um buraco com a escassez de recebedores. A escolha de Fant é mais do que justificada. O prospecto de Iowa, a exemplo de seu parceiro de universidade T.J. Hockenson, é um ótimo recebedor mas não tão completo, precisando melhorar ainda seus bloqueios. Ainda sim, os Panthers adicionam um jogador de muita qualidade.

#17 – New York Giants (via Cleveland Browns): Andre Dillard (OT – Washington State)

Após movimentações questionáveis na offseason, os Giants não escondem que estão no processo de reconstrução e muitas necessidades ainda precisam ser preenchidas. Pass rusher e wide receiver são prioridades, no entanto, com Dwayne Haskins selecionado na primeira escolha de primeira rodada, a franquia de Nova York não pode deixar passar um talento como Andre Dillard. A OL dos Giants também precisa ser endereçada e com o produto de Washington State ainda disponível, os Giants resolvem o problema com um dos melhores tackles da classe. Dillard é um jogador pronto para o cenário profissional e tem a versatilidade de poder alinhar em qualquer lado da linha ofensiva, garantindo a proteção em Nova York pelos próximos anos.

#18 – Minnesota Vikings: Jonah Williams (OT – Alabama)

Os Vikings ofereceram um contrato milionário a Kirk Cousins, na esperança que sob seu comando, a equipe chegasse ao tão sonhado Super Bowl. Não aconteceu, e Cousins sofreu demais sem a proteção devida. Agora os Vikes precisam consertar os defeitos da temporada passada e encontram em Williams a solução de seus problemas. O jogador já foi considerado um dos melhores jogadores de linha ofensiva do draft, mas sua baixa envergadura e braços não muito longos jogam contra o ótimo prospecto de Alabama.

#19 – Tennessee Titans: Clelin Ferrell (EDGE – Clemson)

Os Titans precisam de renovação em sua linha defensiva. Exceto Harold Landry, Tennessee conta com um grupo de jogadores já em declínio de suas respectivas carreiras. Cameron Wake foi adicionado na free agency, mas o defensor é apenas uma resposta imediata. Brian Orakpo e Derrick Morgan deixaram a equipe e os Titans podem selecionar alguém para ser o pass rusher do futuro da franquia. Com Clelin Ferrell ainda disponível, a organização de Nashville não deixará de escolher um bicampeão nacional do college football e um dos líderes da fortíssima defesa de Clemson.

#20 – Pittsburgh Steelers: Deandre Baker (CB – Georgia)

Os Steelers vivem momentos pouco usuais nesta offseason. Acostumados a serem protagonistas e sempre com bons talentos no roster, a equipe perdeu Antonio Brown e Le’Veon Bell, para Raiders e Jets, respectivamente. No entanto, carências na defesa existem e a equipe deve se preocupar em reforçar a unidade em sua primeira escolha de draft. Em uma classe sem tantos talentos na posição de cornerback, os Steelers terão aqui o melhor atleta disponível. Deandre Baker é um jogador especial na marcação individual e possui bom poder em finalizar jogadas. Sua apresentação no Combine, em especial na corrida de 40 jardas, esteve longe do esperado, no entanto, sua habilidade em não permitir separação dos adversários deve garantir sua seleção pelos Steelers.

#21 – Seattle Seahawks: Cody Ford (OT – Oklahoma)

Russell Wilson agradece por essa seleção. Um dos problemas mais graves da equipe, a linha ofensiva dos Seahawks tem dado dor de cabeça a Pete Carroll e seu quarterback. A chegada de Mike Iupati ajuda na proteção a Wilson, mas está longe ser a solução. Cody Ford tem a facilidade de jogar como guard ou tackle, desta forma, os Seahawks consertam um problema crônico da equipe com sua escolha de primeira rodada.

#22 – Baltimore Ravens: Brian Burns (EDGE – Florida State)

Os Ravens sofreram um verdadeiro desmanche em sua defesa nesta offseason e adicionar talentos à unidade tornou-se prioridade em Baltimore. Brian Burns teve um desempenho fantástico no Combine e viu sua projeção de seleção subir consideravelmente. O produto de FSU chega para assumir a titularidade e começar a reconstrução defensiva dos Ravens.

Resultado de imagem para houston texans

#23 – Houston Texans: Garrett Bradbury (C – N.C. State)

Deshaun Watson foi o jogador mais sacado da liga na temporada passada, e a linha ofensiva necessita de ajuda. O center Nick Martin teve um dos piores desempenhos entre todos os jogadores da posição e pode dar lugar ao melhor center disponível no draft. Garrett Bradbury chega para garantir a proteção necessária a Watson por longos anos.

#24 – Oakland Raiders (via Chicago Bears): Byron Murphy (CB – Washington)

A secundária dos Raiders sofre e não é de hoje. A equipe necessita de talento na posição e pode selecionar um dos melhores cornerbacks da classe. Byron Murphy mostrou ser um jogador dominante na defesa de Washington, apesar de sua curta passagem pelo futebol americano universitário. Apenas 20 jogos foram suficientes para credenciá-lo como um dos melhores da posição no país. Murphy consegue aliar sua fisicalidade com recursos técnicos que chamam muita atenção. Apesar da baixa estatura, o CB tem tudo para evoluir e se consolidar na defesa de Oakland.

#25 – Philadelphia Eagles: Josh Jacobs (RB – Alabama)

Os Eagles tiveram um dos piores desempenhos da liga quando se trata de jardas por carregada em seu jogo terrestre. Some-se a isso o fato da equipe ter sofrido com muitas lesões no seu grupo de running backs. Josh Jacobs é o mais talentoso do draft na posição e chegaria para assumir o protagonismo do backfield de imediato. Com boa leitura de seus bloqueios, força, velocidade e boas mãos, Jacobs é a escolha certa para os Eagles conseguirem estabelecer seu jogo terrestre e voltar a se credenciar como candidatos ao Super Bowl.

 

#26 – Indianapolis Colts: Greedy Williams (CB – LSU)

Os Colts adorariam trazer mais talento à sua linha defensiva e adicionar um pass rusher de qualidade. Com os melhores da posição já selecionados, e a recente contratação de Justin Houston, a franquia de Indianapolis volta sua atenção ao problema de sua secundária. A equipe foi apenas a 20ª contra o passe na temporada passada e encontra em sua primeira escolha do draft um jogador que teve seis interceptações no seu último ano em LSU, podendo se tornar uma máquina de turnovers. Williams tem o tamanho e velocidade que a posição exige no cenário profissional. No entanto, o prospecto tem dificuldades em finalizar jogadas, fazendo com que seu status de melhor CB da classe já não se sustente até o dia do recrutamento.

#27 – Oakland Raiders (via Dallas Cowboys): Irv Smith Jr. (TE – Alabama)

Os Raiders utilizam suas três escolhas de draft para preencher suas maiores necessidades. Com Josh Allen e Byron Murphy, Oakland resolve seus problemas de pass rush e secundária, respectivamente. A equipe tem carências na posição de linebacker e running back, mas com Devin White, Devin Bush e Josh Jacobs já selecionados, a escolha aqui servirá para encontrar o substituto a Jared Cook, e trazer uma opção no jogo aéreo que, certamente, será concentrada em Antonio Brown. Irv Smith Jr. é mais um dos sempre ótimos prospectos de Alabama com boa capacidade em receber passes pelo meio do campo e uma ameaça na end zone adversária.

#28 – Los Angeles Chargers: Dexter Lawrence (DT – Clemson)

Após ótima temporada regular, os Chargers decepcionaram nos playoffs e viram os Patriots dominarem o duelo com um número excessivo de corridas sobre sua defesa. Agora, a equipe que conta com boa profundidade de elenco, deve reforçar sua linha defensiva e se tornar mais combativa contra o jogo terrestre. Dexter Lawrence tem um porte físico invejável, grande capacidade em conter avanços pelo interior da linha, como pressionar o quarterback adversário.

Resultado de imagem para kansas city chiefs

#29 – Kansas City Chiefs: Jonathan Abram (S – Mississippi State)

A melhor defesa é o ataque? Os Chiefs mostraram que não é bem assim. Apesar do ataque avassalador conduzido por Patrick Mahomes, Kansas City sofreu demais com sua defesa na temporada passada e a ausência de Dee Ford e Justin Houston deve aumentar ainda mais os problemas da equipe. Para agregar com o novo reforço Tyrann Mathieu, os Chiefs têm a chance de selecionar o melhor safety da classe de 2019.

#30 – Green Bay Packers (via New Orleans Saints): A.J. Brown (WR – Ole Miss)

Os Packers cuidaram bem de suas carências defensivas na free agency e utilizam o draft para dar mais armas a Aaron Rodgers. Com T.J. Hockenson selecionado em sua primeira escolha de primeira rodada, Green Bay encontra um ótimo parceiro a Davante Adams pelas laterais. A saída de Randall Cobb pede mais qualidade ao grupo de recebedores e ter A.J. Brown ainda disponível na 30ª escolha é um verdadeiro achado.

Resultado de imagem para los angeles rams

#31 – Los Angeles Rams: Christian Wilkins (DT – Clemson)

A exemplo do Los Angeles Chargers, os Rams também possuem boa profundidade em seu roster. Mas se a equipe ainda espera manter sua agressividade na linha defensiva, alguém deverá chegar para o lugar de Ndamukong Suh, que não teve seu contrato renovado. Christian Wilkins foi um dos líderes da poderosa defesa de Clemson e pode oferecer tudo que o coordenador defensivo Wade Phillips exige de seus jogadores. O prospecto dos Tigers formaria uma dupla de dar inveja a qualquer equipe ao lado de Aaron Donald.

#32 – New England Patriots: Jeffery Simmons (DT – Mississippi State)

Os Patriots precisam começar a se preocupar com seu futuro. Apesar da conquista do sexto anel, Tom Brady não ficará mais jovem com o passar dos anos, e Rob Gronkowski chocou o mundo da NFL na última semana, anunciando sua aposentadoria após nove temporadas na liga. No entanto, neste contexto, não existem opções favoráveis a New England nesta altura. Com a ausência de Trey Flowers, os Pats precisam de novos talentos em sua linha defensiva. Cotado a ser selecionado entre as 10 primeiras escolhas, Simmons sofreu uma ruptura do ligamento cruzado em treinamentos para o Combine e acabou caindo nas projeções. Os Patriots aproveitam a oportunidade de assegurar um talentoso jogador com a última escolha da primeira rodada.

LEIA MAIS

Mock Draft The Playoffs: Versão 1 | Versão 2| Versão 3 | Versão 4

Oddsshark