12/08/2019 - 11h09

PRÉVIA NFL 2019: #25 Oakland Raiders

Em sua última temporada na cidade de Oakland, Raiders agregam talento e buscam se despedir com dignidade

MIAMI GARDENS, FL - SEPTEMBER 23: Head coach Jon Gruden of the Oakland Raiders looks on during fourth quarter action against the Miami Dolphins during an NFL game on September 23, 2018 at Hard Rock Stadium in Miami Gardens, Florida. Miami defeated Oakland 28-20Os Raiders entraram na temporada 2018 sob comando do então novo (velho) head coach Jon Gruden. Após longos anos apenas comentando jogos no Monday Night Football, Gruden voltou aos gramados para a franquia que o lançou (e trocou, posteriormente) como técnico principal. Antes mesmo da temporada começar, a primeira mudança: Khalil Mack, melhor defensive end da NFL, foi trocado para o Chicago Bears.

Em campo, a primeira parcela da temporada foi um desastre, com uma vitória apenas (sobre o Cleveland Browns, com equívocos graves da arbitragem). Na segunda metade, a defesa melhorou um pouco a performance e ajudou nas outras vitórias, contra Broncos, Steelers e Cardinals. Em meio a tudo isto, Gruden deu aval para a troca de mais uma estrela: Amari Cooper mudou-se para Dallas e passou a defender a franquia dos Cowboys.

Ao final do ano, a ridícula marca de apenas 13 sacks evidenciou que Mack não deixou substituto e esta seria a primeira prioridade para a offseason. No período de free agency, os Raiders reforçaram muito bem seu grupo de recebedores, trocando pelo badalado – e dramático – Antonio Brown, bem como assinando com Tyrell Williams e Ryan Grant.

A defesa viu Brandon Marshall, Lamarcus Joyner e o contestado Vontaze Burfict chegarem, agregando experiência e aumentando a qualidade em relação ao grupo fraco do ano anterior. Mesmo assim, a posição de defensive end precisava ser endereçada com um novo jogador, alguém capaz de mudar o panorama de uma partida, tal qual como se esperava do Mack.

No Draft, o time tinha como mudar de patamar, com 4 escolhas dentro das 35 primeiras. No primeiro dia, Clelin Ferrell (DE, escolha 4), Josh Jacobs (RB, escolha 24) e Johnathan Abram (S, escolha 27) foram os escolhidos, em função de habilidade, caráter e senso de liderança, conforme declarou o GM novato Mike Mayock. No dia seguinte, buscaram mais um campeão nacional universitário com Clemson, selecionando Trayvon Mullen (CB, escolha 40) após dois trade downs. Destaca-se ainda a seleção do WR Hunter Renfrow, que apesar de não ser tão reconhecido, tem boas atuações em jogos decisivos.

Por fim, talvez estejamos vendo a última chance de Derek Carr se consolidar como um quarterback titular na NFL. Com um Draft cheio de bons prospectos na posição, Carr precisa demonstrar que conseguiu entender o sistema de Jon Gruden e melhorar seus números para garantir o emprego na sequência da carreira. Afinal, o head coach já deixou bem claro que não importa o quão bom o jogador for, é possível trocá-lo pelo (que ele entende) bem da equipe.

Obviamente, o grupo de jogadores é extremamente mais talentoso que em 2018. Contudo, parece ainda não ser o suficiente para colocar a equipe na briga por playoffs, porque ainda há muitos espaços para preencher. A grande questão é: na última temporada em frente aos torcedores de Oakland, antes da mudança para Las Vegas, será possível para os Raiders se despedirem com dignidade?

Principais Chegadas: Apesar de toda polêmica que circunda o jogador, é indiscutível que Antonio Brown muda o patamar do grupo de recebedores da equipe. Com seis temporadas seguidas com mais de 100 recepções e 1.200 jardas, Brown chega para ser o verdadeiro WR número 1 da equipe, desde que não decida se aposentar. Já Tyrell Williams tem a chance de provar que é mais do que apenas rotas “go”.

A linha ofensiva também recebeu reforço: Richie Incognito. É muito difícil esquecer seus vexames fora de campo, mas sabemos que a produção dentro do gramado dele é de muita qualidade. O OG chega para preencher uma lacuna importante e auxiliar o desenvolvimento de Kolton Miller. Além dele, o time investiu pesado para que Trent Brown, campeão com os Patriots, chegasse e desse suporte na posição right tackle.

Na defesa, Brandon Marshall e Vontaze Burfict devem assumir papeis de liderança e titularidade, dando mais força ao grupo de linebackers que mostrou muita dificuldade em 2018. Além disto, Lamarcus Joyner veio do vice-campeão Los Angeles Rams para ser o principal marcador de slot receivers.

O Draft trouxe jogadores importantes para funções que faltavam talento. Ferrell chega pressionado pelo peso de substituir Khalil Mack, mas foi um jogador de muito destaque em Clemson Tigers. Jacobs tem a missão de estabelecer o jogo corrido, e parece ser um RB capaz de elevar o nível de competitividade ofensiva. Abram, o calouro de primeira rodada menos badalado, teve de começar a treinar mais leve a pedido de Gruden, já que vinha batendo demais nos próprios companheiros. De todos, é o mais elogiado, pois apresenta comportamento de líder e tem brilhado nas jogadas desde o primeiro dia.

(Foto: Reprodução Twitter/NFL)

Principais Saídas: Como o time não tinha muitos talentos, era difícil perder alguém realmente importante e de qualidade. Além das trocas de Cooper e Mack, que ocorreram antes do final da temporada 2018, o time deve sentir a perda de Marshawn Lynch. O RB histórico se aposentou (pela segunda vez), mas deve ser sentido mais pela presença no vestiário do que efetivamente seu jogo terrestre, em declínio pela idade.

O ataque perdeu, também, seu recebedor mais produtivo de 2018: Jared Cook. O ótimo TE foi responsável por grandes avanços e demonstrou estar muito bem fisicamente, mesmo já tendo ultrapassado a barreira dos 30 anos. Agora, o jogador vai receber passes de Drew Brees e deve auxiliar os Saints na busca pelo título da Conferência Nacional.

Ponto Forte: O melhor recebedor dos Raiders ao final de 2018 era Brandon LaFell. Mesmo assim, Derek Carr superou o maior número de sacks da carreira (51) para ultrapassar as 4.000 jardas aéreas. Com as ótimas adições ao grupo de recebedores, o ataque aéreo deve ser um ponto de destaque da equipe em 2019. Além desta, aposto na secundária liderada por Gareon Conley e Abram para aumentar o nível da defesa.

Ponto Fraco: As linhas dos Raiders parecem os setores mais preocupantes. A OL tem bons nomes, como o center Rodney Hudson, mas ainda é refém de Tom Cable, um dos piores treinadores de posição da NFL. Em 13 como responsável pelo setor, jamais conseguiu figurar no top 20 em proteção ao QB. A linha defensiva está recheada de talento jovem, mais ainda parece faltar uma referência técnica capaz de liderar o grupo de Ferrell, Maurice Hurst, Arden Key e Johnathan Haskins.

Calouro para Ficar de Olho: Aqui há uma escolha difícil. Com três escolhas de primeira rodada, estes serão os calouros com mais atenção. Ferrell terá de valer a quarta escolha geral, Jacobs precisa ser a nova referência do jogo terrestre, mas minha aposta de melhor calouro fica para Johnathan Abram. Com instinto explosivo e muita liberdade para atuar próximo à linha de scrimmage, o jogador deverá ter bons números de tackles e pode contribuir na cobertura dos passes.

Campanha em 2018: 4-12

Projeção para 2019: 7-9

Técnico: Jon Gruden (1998-2001; 2018) – recorde: 42-38

Briga por: se despedir com dignidade de Oakland (não deve ter escolha alta no Draft, nem lutar por playoffs)

TABELA 2019

Semana 1: Broncos (casa)
Semana 2: Chiefs (casa)
Semana 3: Vikings (fora)
Semana 4: Colts (fora)
Semana 5: Bears (em Londres)
Semana 6: bye
Semana 7: Packers (fora)
Semana 8: Texans (fora)
Semana 9: Lions (casa)
Semana 10: Chargers (casa)
Semana 11: Bengals (casa)
Semana 12: Jets (fora)
Semana 13: Chiefs (fora)
Semana 14: Titans (casa)
Semana 15: Jaguars (casa)
Semana 16: Chargers (fora)
Semana 17: Broncos (fora)

(Foto: Joel Auerbach/Getty Images)

POWER RANKING THE PLAYOFFS

Oakland Raiders: posição 25
Melhor nota: 7,5 / Pior nota: 6

>> A posição de cada time no Power Ranking do The Playoffs foi definida por um comitê do site que conta com Fabio Garcia, Fernando Ferreira, Gabriel Mandel, José Ferraz e Luis Felipe Saccini. Os cinco deram notas para as equipes levando em conta a força dos elencos em geral e a perspectiva delas neste momento. A partir da média, listamos as franquias neste ranking de 1 a 32. Semanalmente, a lista será atualizada de acordo com o desempenho dos times em campo durante a temporada regular.

Oddsshark