10/03/2020 - 00h20

Russell Okung acusa NFLPA de má-fé na negociação do novo CBA

Ex-OT dos Chargers acusa diretor executivo da NFLPA de violar a constituição do sindicato na votação do novo acordo coletivo

O ofensive tackle Russell Okung apresentou uma queixa ao Conselho Nacional de Relações Trabalhistas nesta segunda-feira, alegando que a Associação de Jogadores da NFL (NFLPA) agiu de má-fé na proposta do novo acordo de negociação coletiva (CBA), de acordo com Ken Belson, do The New York Times.

No documento, ele acusa DeMaurice Smith, diretor executivo da NFLPA, de substituir o comitê executivo para avançar com a proposta de CBA sugerida pelos proprietários, uma aparente violação da constituição do sindicato. Seis membros do comitê de 11 pessoas do sindicato votaram para não recomendar o CBA, mas ele recebeu apoio suficiente de representantes da equipe para enviá-lo ao restante dos jogadores.

Os jogadores podem agora aprovar o CBA, o que permitiria aos proprietários expandir a temporada regular para 17 jogos, com uma maioria simples quando votarem. Eles podem votar até o final de domingo.

Okung opõe-se veementemente ao potencial novo acordo coletivo, argumentando que uma temporada regular mais longa vai contra a prioridade declarada do sindicato de servir a saúde e a segurança de seus membros.

O jogador de 31 anos jogou por Seattle Seahawks, Denver Broncos e Los Angeles Chargers ao longo de sua carreira de 10 anos. Ele deve se juntar ao Carolina Panthers após uma troca dos Chargers assim que a NFL começar a processar as transações em 18 de março.

Okung é um dos quatro jogadores que supostamente concorrerá à presidência da NFLPA, cargo que Eric Winston deixará após seis anos de serviço. Winston não é elegível para outro mandato, já que não jogou na NFL durante a temporada de 2019. Outros candidatos ao pleito são: Sam Acho, do Tampa Bay Buccaneers; Michael Thomas, do New York Giants; e JC Tretter, do Cleveland Browns.

Foto: Reprodução Twitter/Russell Okung

Oddsshark