14/01/2020 - 02h32

Com show de Burrow, LSU vence Clemson e conquista o título do College Football Playoff

Quarterback prova que é o melhor do país mais uma vez e lidera LSU ao quarto título

Numa atuação de encher os olhos, Joe Burrow deu o melhor recado possível ao mundo. Com um verdadeiro show do quarterback, LSU se sagrou campeã nacional ao bater Clemson por 42 a 25 nesta segunda-feira (13). Foi o quarto título nacional dos Tigers, sendo o primeiro no novo sistema do College Football Playoff. O duelo aconteceu no Mercedes-Benz Superdome, casa do New Orleans Saints, na Louisiana. Burrow foi além de campeão, o MVP ofensivo da partida. Patrick Queen, o defensivo.

E não é para menos. O QB acumulou ótimos números e liderou a virada da equipe. O camisa 9 terminou o confronto com 463 jardas aéreas, cinco touchdowns lançados e um terrestre, além de acertar 31 passes em 49 tentativas. Destaque também para Ja’Marr Chase. O recebedor conseguiu 221 jardas e dois touchdowns. Thaddeus Moss também conseguiu dois TDs em cinco recepções.

Por Clemson, campeão em 2019, Trevor Lawrence, enfim, conheceu o sabor da derrota. O QB começou a partida de forma forte, porém sucumbiu diante da marcação rival. Encerrou o embate com 234 jardas aéreas, além de 49 terrestres. Travis Etienne tentou impor seu jogo, mas foi muito bem marcado. O running back deixou o campo com 78 jardas terrestres e um touchdown pelo chão.

Conexão Burrow-Chase em dia:

Depois de um começo em que as defesas dominaram nas primeiras campanhas, Clemson abriu o placar. Lawrence correu uma jarda no read option e colocou 07 a 00 na contagem. O empate de LSU veio quando Burrow conectou Chase para 52 jardas, 07 a 07. Só que da mesma distância, B.T. Potter recolocou os atuais campeões na frente com um field goal, 10 a 07.

O momento era todo de Clemson. Num belo reverse, Tee Higgins fez as vias de running back e resolveu com as próprias pernas, 17 a 07. O lance parece ter acordado Burrow, que não vinha tendo de seus jogos mais inspirados. Até que o QB, enfim, resolveu aparecer.

Primeiro, resolveu um drive com as próprias pernas, correndo três jardas, 17 a 14. Com a defesa segurando as pontas, o vencedor do Heisman seguiu maltratando os rivais. Antes do intervalo, mais dois TDs lançados: primeiro, 14 jardas no colo de Chase e depois, passe de seis jardas de Thaddeus Moss, filho do lendário Randy Moss (que estava na arquibancada torcendo pelo filho) e vantagem na metade do jogo em 28 a 17.

O melhor jogador do ano, Joe Burrow:

Na volta dos vestiários, Clemson até deu sinais de que poderia competir. Travis Etienne correu para três jardas e diminuiu para 28 a 25, já que os Tigers de laranja concluíram a conversão de dois pontos. Só que Burrow ainda tinha mais guardado em sua cartola. Aproveitando-se do ótimo entrosamento com Chase, o camisa 9 de LSU castigou a secundária dos atuais campeões com um passe de 43 jardas para o recebedor.

Depois, voltou a encontrar Moss, agora para quatro jardas e 35 a 23 no placar, deixando o jogo em pelo menos duas posses. Um pouco antes, o linebacker James Skalski foi expulso por targeting.

Clemson seguiu tentando, mas Lawrence errava muitos passes. Enquanto isso, Burrow seguia com as rédeas do show. O quarterback encontrou Terrace Marshall Jr. já na end zone num lindo lançamento, 42 a 25.  Depois, com o placar tão dilatado, LSU só precisou controlar o ímpeto de Clemson. A equipe ainda forçaria um fumble de Lawrence já nos minutos finais para confirmar o título de campeã nacional.

Foi o quarto título da equipe no College Football. No primeiro, em 1958, os Tigers também venceram Clemson. Em 2003, comandados por Nick Saban, venceram Oklahoma. Fechando a lista de títulos anteriores ao de 2020, a equipe, em 2007, se sagrou vencedora ao bater Ohio State, sob o comando de Les Miles. Agora, liderados por Burrow, colocam o nome na história mais uma vez. Um título que coroa a grande temporada da equipe comandada por Ed Orgeron.

Foto: Twitter / LSU

Oddsshark