06/06/2014 - 01h44

San Antonio vence Miami e abre 1-0 nas finais da NBA

Heat não resiste ao calor e Spurs saem na frente no jogo 1 da decisão

Exageros nos turnovers dos dois lados, jogo parelho até o meio do último período e um calor a ponto de transformar o AT&T Center em um verdadeiro inferno. Pior para o Miami Heat, que sofreu com o calor nos minutos finais e perdeu o jogo 1 das finais da NBA para o San Antonio Spurs por 110 a 95.

O triunfo serve para aumentar a confiança na veterana equipe de Gregg Popovich, que pode dar um passo importante rumo ao título da liga americana de basquete já no próximo domingo, às 21h, no mesmo palco.

Um fator externo acabou ajudando o time do Texas a sair com a vitória. O ar-condicionado do AT&T Center pifou, e o calor atingiu as duas equipes, mas quem sentiu mais foi o Heat, que teve seu principal jogador saindo de quadra no último período com uma lesão.

Jogo:

Quem deu as cartas foi o Miami Heat com Chris Bosh. O ala-pivô anotou os primeiros cinco pontos dos atuais bicampeões. Mas San Antonio tinha Tim Duncan, que comandava as ações ofensivas e equilibrava o placar. Em uma das jogadas, o camisa 21 deu um drible desconcertante em Dwyane Wade e colocou o time da casa em vantagem: 11 a 10.

Outro fator que chamou a atenção foi a facilidade dos arremessos de três pontos convertidos pelos Spurs, graças a Manu Ginobili (foto) e Patty Mills. No final das contas, 26 a 20, sendo 12 deles vindo da linha dos 3 pontos.

No segundo período, o Heat voltou melhor, aproveitando os erros de San Antonio (no total foram 23 turnovers durante o jogo) e outro especialista na linha dos 3 pontos resolveu aparecer: Ray Allen. O camisa 34 de Miami acertou o arremesso que colocou o Heat no jogo, deixando tudo igual. Belinelli respondeu na mesma moeda, mostrando que o banco de San Antonio queria jogo: 34 a 31. Entre erros dos arremessos de longe pelos dois lados, San Antonio foi administrando a vantagem e foi para o vestiário com a vantagem de cinco pontos no placar: 54 a 49.

Os Spurs voltaram com tudo no terceiro quarto chegando a abrir nove pontos de vantagem. Só que Miami não estava entregue e Rashard Lewis e Wade mudaram essa história com oito pontos seguidos, diminuindo a diferença para um ponto. LeBron James também contribuiu com o bom momento do time da Flórida e com uma cesta de três, deixou o Heat em vantagem: 62 a 60.

Atrás do placar, San Antonio começou a errar no campo de ataque, dando espaço para o Heat contratacar. Em um desses contragolpes, Ray Allen, armador de 38 anos, arrancou com a bola e deu uma cravada espetacular colocando os bicampeões com uma boa vantagem de quatro pontos: 73 a 69. Splitter cravou para dar moral aos donos da casa, mas LeBron respondeu de três. O brasileiro voltou a marcar, mas não impediu que o San Antonio fosse para o último quarto com quatro pontos atrás: 78 a 74.

Os 12 minutos finais, eis que outro elemento apareceu: o calor. Com o ar-condicionado do AT&T Center fora de combate desde o início do duelo, os jogadores do Miami começaram a sentir mais a alta temperatura, que ultrapassava os 30ºC. No banco, LeBron recorria aos sacos de gelo. Mas em quadra não tinha o que fazer. E o astro do Miami saiu carregado de quadra pelos companheiros, aparentemente sentindo cãibras. O que era o momento do Miami na partida virou lavada no final.
A dupla Duncan/Parker entrou em ação e os Spurs viraram o jogo. Outro que apareceu foi Danny Green, que graças as bolas de três pontos elevou a vantagem dos texanos.

Sem LeBron, que foi o cestinha do jogo com 25 pontos e seis rebotes, o Miami se perdeu. Para piorar, o San Antonio começou a acertar tudo. Kawhi Leonard, duas vezes, e Tony Parker finalizaram com mais três bolas de três – somando 13 no total para os Spurs. Aí foi só esperar o cronômetro zerar para comemorar a primeira vitória na longa batalha das finais da NBA.
No lado dos Spurs, Tim Duncan anotou 21 pontos e dez rebotes. Já o brasileiro Tiago Splitter atuou por 23 minutos e contribuiu com 14 pontos e quatro rebotes. Pelo lado de Miami, além de LeBron James, outro destaque ficou por conta de Dwyane Wade, que anotou 19 pontos.

Oddsshark