10/02/2020 - 21h35

Masai Ujiri, presidente de operações dos Raptors, é processado por agressão

Policial alega ter sido agredido pelo dirigente após a vitória da franquia canadense no jogo 6 das finais da temporada passada

Masai UjiriMasai Ujiri, presidente de operações do Toronto Raptors, está sendo processado por um policial que alega que o executivo o agrediu após a vitória da franquia sobre o Golden State Warriors no jogo 6 das finais da NBA do ano passado.

De acordo com o processo, movido na Califórnia e aberto em 2019, o oficial Alan Strickland foi atingido por Ujiri no rosto e no peito com os dois punhos. Depois que os dois homens foram separados, o dirigente teria se dirigido à quadra para comemorar a vitória com a equipe.

Strickland, juntamente com sua esposa, Kelly, que é nomeada co-autora no processo, alegam que o policial, como resultado do incidente, “sofreu ferimentos em seu corpo, saúde, força, atividade e pessoa, todos os quais causaram e continuam causando grande dor e sofrimentos mentais, emocionais, psicológicos, físicos e nervosos”.

O processo também afirma que o policial “sofreu grande ansiedade, vergonha, raiva, perda de prazer na vida, prejuízo à reputação e grave sofrimento emocional e físico, em quantidade a ser determinada em julgamento”.

A ação movida por Strickland alega que a soma total dessas questões causou incapacidade permanente a ele. O processo pede que o casal seja recompensado por danos gerais que excedam o valor mínimo de US$ 75 mil, além do pagamento de todas as despesas médicas necessárias até o momento e que possam surgir no futuro, e todos os custos legais da ação.

O casal também pediu um julgamento por júri. O xerife do condado de Alameda, Greg Ahern, solicitou inicialmente que Ujiri fosse acusado de agredir um policial, alegando que o dirigente bateu no queixo e no ombro de Strickland.

No entanto, o Ministério Público do Condado de Alameda se recusou a apresentar qualquer queixa após uma investigação de meses que terminou com uma reunião entre o órgão, Ujiri e seus advogados em outubro.

A ESPN norte-americana confirmou com um porta-voz do xerife que o policial está atualmente de licença, embora o representante tenha se recusado a dizer mais alguma coisa por razões de privacidade.

“Acabamos de tomar conhecimento de que um processo foi registrado. Não temos comentários no momento”, disse um porta-voz da Maple Leaf Sports and Entertainment (MLSE), o grupo dono dos Raptors.

O casal está processando não apenas Ujiri, mas também os Raptors, a MLSE e a própria NBA em seis acusações. A ação alega que as partes, entre outras coisas, “falharam em fornecer medidas de segurança e proteção adequadas para proteger os membros do público”.

O processo passou a listar várias coisas que poderiam ter sido feitas, incluindo “postar sinais de aviso de perigo, incluindo o perigo de Masai Ujiri”.

Crédito da foto: Reprodução/YouTube

Oddsshark