12/02/2020 - 20h49

Durant explica saída de OKC e critica ex-companheiros: “Não joguei com caras habilidosos”

No Golden State Warriors, o camisa 35 foi duas vezes MVP das finais e conquistou os sonhados títulos da NBA

Após bater na trave algumas vezes com o Oklahoma City Thunder, Kevin Durant decidiu deixar a franquia e tomar novos rumos em sua carreira em 2016. A escolha do camisa 35 foi pelo Golden State Warriors, time que havia quebrado o recorde do Chicago Bulls de Michael Jordan na temporada regular e chegado em duas finais consecutivas da NBA. Em recente entrevista ao podcast All The Smoke, o ala explicou o motivo de sua escolha e foi duro com seus ex-companheiros de OKC:

“Em Oklahoma eu joguei com muitos atletas, não joguei com caras habilidosos, bons chutadores, com bom controle de bola… Eu estava tipo ‘Eu preciso de uma mudança’. E isso foi antes da temporada (2016/17) começar. Eu estava cansado de ser o único cara que conseguia fazer bolas de três e outros chutes de forma consistente.”

Durant foi selecionado na segunda escolha geral do Draft de 2007 pelo ainda Seattle SuperSonics. Durante quase uma década pela franquia, ele foi eleito uma vez MVP de temporada regular, foi quatro vezes cestinha e chegou em uma final da NBA, mas foi derrotado pelo Miami Heat de LeBron James, Dwyane Wade e Chris Bosh. Nessa ocasião, em 2011/12, ele tinha Russell Westbrook e James Harden como companheiros.

No Golden State Warriors, ele chegou ao tão sonhado título e ainda conquistou o bicampeonato, sendo MVP das finais em ambos os anos e marcando seu nome de vez na história da NBA, mesmo sendo questionado por muitos por sua saída polêmica e que abalou o mercado da liga.

“E, obviamente, eu tinha algumas equipes (para escolher no mercado), mas o Warriors eram um time que eu queria jogar, porque o movimento que eles tinham, o passe… Eles lideraram a liga em assistências. Quando Scott Brooks era meu treinador (no Oklahoma City Thunder), era disso que falávamos, nós queríamos liderar a liga em assistências. E então, jogar com esse time (Golden State), era nisso que eu estava imaginando”, continuou explicando Durant.

Na temporada 2015/16, quando atuava por OKC, Durant e Westbrook quase conseguiram derrubar os Warriors na final da Conferência Oeste. O Thunder abriu 3 a 1 de vantagem na série e parecia perto de garantir vaga na grande final contra o Cleveland Cavaliers de LeBron James e Kyrie Irving, mas levou a virada de forma histórica e foi eliminado. Durant explicou seu lado e usou exemplos dessa série:

“Quando enfrentamos os Warriors, você sabe que eles se esgotaram para me parar. Quero dizer, eles vão deixar Andre Roberson (chutar livre). Ele foi ótimo para a nossa equipe nessa série, porque marca muito. Mas ele sabia que não iria nos ajudar a acertar bolas de três. E todo mundo no mundo sabia disso. E é fácil para uma equipe nos marcar quando temos caras a quem eles não vão respeitar em bolas de três”, analisou o ala, que completou dizendo:

“Então, eu estava cansado de jogar nesse sistema. Minha mente já estava pensando, ‘como posso desenvolver meu jogo?’ Mesmo se isso fosse uma rivalidade (Thunder vs Warriors), eu não dava a mínima. Eu só queria continuar desenvolvendo meu jogo. Além disso, jogamos apenas uma vez nos playoffs. Então, eu realmente não senti um verdadeiro ódio profundo pelos Warriors. Era como se eles fossem uma nova equipe. Eles estavam em ascensão. 

Após vencer dois títulos por Golden State, Durant não conseguiu ficar saudável e não esteve disponível na última final da NBA, contra o Toronto Raptors. Ele até tentou jogar, mas agravou mais ainda sua situação. A franquia canadense foi campeã sob o comando de Kawhi Leonard e o camisa 35 decidiu rumar para o Brooklyn Nets, mas ainda não estreou justamente por estar machucado.

Assista ao All-Star Game da NBA ao vivo, onde estiver, no Watch ESPN. Clique aqui e aproveite sete dias grátis.

(Crédito: Reprodução Facebook.com)

Oddsshark