11/07/2019 - 23h49

Danny Green: Kawhi queria ‘seu próprio caminho’, não os Lakers

Green falou sobre ida de Kawhi para os Clippers e da rivalidade entre as franquias de Los Angeles

TORONTO, ON - MAY 12: Kawhi Leonard #2 of the Toronto Raptors celebrates with teammates after sinking a buzzer beater to win Game Seven of the second round of the 2019 NBA Playoffs against the Philadelphia 76ers at Scotiabank Arena on May 12, 2019 in Toronto, Canada.A decisão de Kawhi Leonard de se unir a Paul George e ir para o Los Angeles Clippers foi um dos acontecimentos mais impressionantes dos últimos tempos na NBA. Grande parte disso foi por conta do suspense criado pelo atual MVP das finais, que segurou por muito tempo sua decisão depois dos outros free agents de peso terem todos escolhidos suas novas casas.

O mistério foi tanto que um dos companheiros mais próximos de Leonard, Danny Green, também soube da escolha em cima da hora. No entanto, o agora jogador do Lakers tinha uma certeza: Kawhi não iria para o lado roxo e dourado da cidade.

“Acho que tudo foi um choque para mim”, disse Green em uma teleconferência com repórteres na quinta-feira (11). “Não tanto um choque de Kawhi indo para LA. Os Clippers, no fim das contas. Eu não o via chegando por esse caminho [pelos Lakers]. Eu sinto que ele queria seguir seu próprio caminho. Acho que foi entre eles e voltar [para Toronto]. Acho que pelo ano que ele teve e o que os fãs trouxeram nesta temporada e tudo mais, foi difícil para ele recusar e deixar Toronto. Mas eu sabia que ele queria estar mais perto de casa”.

Leonard, natural de Riverside, Califórnia, orquestrou dos bastidores toda a troca que tirou Paul George do Oklahoma City Thunder para formar uma super dupla com ele nos Clippers, abrindo mão dos Lakers – que tinham US$ 32 milhões de espaço no teto salarial esperando por ele – e os Raptors, que queriam manter o jogador que mudou a franquia de patamar e ter a chance de defender o seu título.

Logo depois que Leonard informou aos Lakers que eles estavam fora da disputa, o time mais famoso de Los Angeles se comprometeu a oferecer a Green um contrato de US $ 30 milhões por dois anos, fechando em seguida acordos com Kentavious Caldwell-Pope, JaVale McGee, Rajon Rondo, Alex Caruso, Quinn Cook, DeMarcus Cousins ​​e eventualmente Avery Bradley para completar o elenco de apoio de LeBron James e Anthony Davis.

Green, um veterano com 10 anos de NBA e com uma média de carreira de 40,4% de aproveitamento nos três pontos, disse que a decisão pelo Lakers foi simples. “Não foi muito difícil, cara”, disse ele. “LeBron [James] e Anthony Davis estão aqui. Obviamente, quando você está com uma equipe vencedora e você venceu, você quer tentar de novo, se possível. Mas isso não ia acontecer. E mesmo se isso acontecesse, eu não acho que eles tivessem espaço para mim lá [em Toronto]. Então você vai para o próximo melhor time da liga que vem na sua cabeça e esse lugar era aqui”.

Não que a espera até ele tomar essa decisão não tivesse sido dura. Os agentes livres poderiam iniciar negociações com as equipes no dia 30 de junho. Leonard não fez sua escolha até o dia 5 de julho. E Green – sabendo que poderia ganhar um pouco desse teto salarial restante dos Lakers se Kawhi decidisse por não formar um supertime ao lado de James e Davis – não tinha escolha senão ficar esperando até seu ex-colega tomar sua decisão.

“Esses cinco dias pareceram cinco meses”, disse ele. “E a cada dia que passava, eu checava com tipo,’ E aí, o que está acontecendo com a sua reunião? ‘. “Eu tenho uma reunião amanhã.” Então, tipo, ‘Amanhã? Então eu tenho que esperar outro dia?’. Você pensa que um dia passa rápido, mas do jeito que estava acontecendo, do jeito que eu estava falando com ele, você poderia pensar que duraria mais uma semana, tipo, ‘eu tenho que esperar outro dia, cara? Como assim?!'”

Green, que jogou ao lado de James em Cleveland durante sua temporada de estreia em 2009-10 e depois jogou contra ele nas finais da NBA quando o astro jogava pelo Miami Heat, está feliz por estar de volta ao lado do melhor jogador do planeta. “Eu tive a chance de jogar com ele, jogar contra ele, competir e agora competir com ele”, disse Green. “Meio que faz um círculo completo. É uma loucura como algumas coisas acontecem.”

Em vez de voltar para os Raptors ou jogar por outro time do Texas, no Dallas Mavericks, que manifestou interesse, Green agora se tornará parte do aguardado clássico de Los Angeles entre os Lakers e os Clippers no Staples Center, enfrentando seu antigo companheiro Kawhi Leonard.

“Eu acho que vai ser muito divertido”, disse ele. “Eu acho que isso é uma rivalidade voltando ao que era antes. Mas eu acho que ambas as equipes são muito boas no papel, nós temos que ver como elas ficarão com as peças em quadra juntas. Eu acho que vai ser algo que vai crescer aos poucos, e tomara que se torne algo que seja inacreditável para os fãs assistirem. Estou empolgado com isso. Você nunca sabe, pode ser que duas equipes em Los Angeles joguem uma contra a outra [nos playoffs] e não teríamos que viajar para lugar nenhum. Pode ser interessante. ”

Enquanto Green se sente feliz por ter desembarcado no Lakers, o armador diz que Kawhi Leonard e Paul George também se sentiram felizes após as negociações.

“Eu tive conversas breves com eles depois, eles acham que tiveram sorte com isso tudo”, disse Green. “Ninguém sabia sobre isso. Eu não tinha ideia. Fazia contato com [Leonard] o tempo todo. Ele não me dava nenhuma atualização. Eu não tinha ideia de onde ele estava indo”, completou.

(Foto: Vaughn Ridley/Getty Images)

Oddsshark