23/02/2020 - 16h42

Segurança de estádio tira cartaz de torcedor que criticava o Houston Astros

Durante partida do Spring Training, torcedor do Washington Nationals teve manifestação impedida por equipe de segurança

A pré-temporada da MLB já começou, mas o escândalo do roubo de sinais envolvendo o Houston Astros continua causando problemas para a equipe. Neste sábado (22), durante a partida contra o Washington Nationals (reedição da última World Series), válida pelo Spring Training, um torcedor adversário resolveu criticar a franquia texana com um cartaz, que foi rapidamente tomado pela equipe de segurança. O ocorrido foi gravado em um vídeo da jornalista Kristie Rieken, da Associated Press.

O incidente aconteceu no FITTEAM Ballpark of The Palm Beaches, o estádio compartilhado pelos dois times durante a pré-temporada, no estado da Flórida.

No cartaz, o torcedor de Washington substituiu o nome “Astros” por um asterisco, criticando o roubo de sinais realizado por Houston em 2017, temporada na qual o time foi vitorioso na World Series. Muitos torcedores ficaram frustrados pelo título não ter sido anulado.

Segundo Rieken, os seguranças do estádio alegaram que o uso de cartazes era proibido. Irritado, o torcedor protestou contra a ação, mas não conseguiu manter seu cartaz. Outro torcedor também teve seu cartaz tomado, no qual estava escrita a frase “Você vê meu ódio?”. No começo da partida, de acordo com Bryan McWilliam, do site theScore, o elenco dos Astros também foi recebido por vaias.

De acordo com Rieken, o novo manager dos Astros, Dusty Baker, afirmou que seu jogadores terão que se acostumar com comentários deste tipo. “A reação será a mesma em quase todos os lugares, principalmente na primeira vez. Então [os jogadores] terão que ser maduros, bloquear os comentários, jogar beisebol e perceber que isso vai passar”.

Uma investigação realizada pelo comissário da MLB, Rob Manfred, determinou que o Houston Astros usou um sistema de câmeras no Minute Maid Park para roubar os sinais dos adversários durante a campanha de 2017. Como punição, o manager A.J. Hinch foi suspenso por um ano, assim como o general manager Jeff Luhnow. Os dois foram demitidos por Houston pouco depois.

Além das suspensões, os Astros também foram multados em US$ 5 milhões e tiveram quatro escolhas de Draft removidas pela MLB. Com a exceção de Carlos Beltrán, nenhum jogador dos Astros foi citado no relatório final da liga. Manfred afirmou que a MLB foi impedida de punir os jogadores envolvidos por receio de uma possível retaliação legal da Associação de Jogadores da MLB (mais conhecida pela sigla em inglês MLBPA), o sindicato que representa os atletas da liga.

(Foto: Reprodução Twitter/Kristie Rieken)

Oddsshark