31/08/2015 - 20h31

Lesão pode acabar com carreira de Tim Lincecum nos Giants

Arremessador sofre com problema no quadril e não deve voltar em 2015

Lesão no quadril pode impedir ídolo de se despedir da torcida (Foto Carlos Avila Gonzalez/The Chronicle)

Lesão no quadril pode impedir ídolo de se despedir da torcida (Foto Carlos Avila Gonzalez/The Chronicle)

Torcedores do San Francisco Giants, sintam-se felizardos e nostálgicos. Recordem os ótimos momentos de Tim Lincecum no montinho, os dois no-hitters, os dois prêmios Cy Young, a ótima atuação nos playoffs de 2010, quando os Giants bateram Atlanta Braves, Philadelphia Phillies e Texas Rangers para levar a World Series pela primeira vez em mais de 50 anos. O arremessador que (também) simboliza a era de ouro da franquia não deve mais atuar por ela.

Lincecum está na lista de contundidos desde 27 de junho, quando foi atingido por uma rebatida durante jogo contra o Colorado Rockies. Dias depois, o manager Bruce Bochy avisou que o arremessador sofria com um problema degenerativo nos quadris, algo que poderia explicar o desempenho ruim dos últimos anos. No domingo, Bochy voltou a falar sobre Lincecum, e as notícias foram pouco animadoras.

Bochy destacou que não há dor diária, apenas um incômodo que restringe seus movimentos quando tenta arremessar. “Timmy não progrediu como esperávamos”, explicou o treinador. O drama aumenta porque este é o último ano de contrato de Lincecum com os Giants, e o próprio jogador afirma que não sabe se o jogo contra os Rockies foi o último da vitoriosa trajetória no Norte da Califórnia.

Falando ao Bay Area News Group, Lincecum disse que tem dias bons e dias ruins, “e os ruins tem superado os bons”, garantindo que torce para voltar a atuar pelos Giants. Desde que foi colocado na DL, ele visitou um especialista em Nashville e tomou injeções de cortisona, mas tudo foi por água abaixo na semana passada quando, durante um treino no Arizona, o quadril voltou a incomodar.

Admitindo a frustração, Lincecum disse que “o staff está fazendo o máximo possível”. “As injeções não estão surtindo o efeito esperado, e estamos analisando todas as opções”, lamenta o arremessador, o que deixa aberto a possibilidade de uma cirurgia. Com os rosters aumentando para até 40 jogadores em setembro, ele não descarta um retorno ainda em 2015 se a questão for resolvida, especialmente para se despedir da torcida que o transformou em um fenômeno na cidade.

Oddsshark