23/09/2017 - 08h46

[PRÉVIA] NHL 2017-2018: Divisão Metropolitana

Vamos analisar os oito times da divisão Metropolitana, que tem o atual bicampeão Pittsburgh Penguins

Sidney Crosby comemora título da Stanley Cup 2017

Dia 4 de outubro. Esse é o dia tão esperado pelos fãs da NHL, início da temporada regular de 2017-2018. Com a pré-temporada a todo vapor, os 31 times da liga se preparam, fazendo os últimos ajustes em seus elencos.

Para você ficar por dentro de tudo, o The Playoffs traz a partir de hoje uma prévia da temporada, começando pela divisão Metropolitana, que traz o atual bicampeão Pittsburgh Penguins. A equipe luta pelo tricampeonato, algo que não acontece desde dos anos 80 na liga.

Além dos Penguins, alguns dos favoritos ao título irão primeiro brigar pela divisão, numa bela disputa durante os 82 jogos para cada franquia, indo até abril de 2018. Acompanhe e saiba mais sobre os oito time da divisão Metropolitana.

PITTSBURGH PENGUINS

Guentzel marca duas vezes em goleada dos Penguins sobre os PredatorsCom dois títulos nos últimos dois anos, o Pittsburgh Penguins começa a temporada como um dos favoritos. Um time com Sidney Crosby e Evgeni Malkin sempre terá os olhos e atenção de todos na NHL. Mas o time comandado por Mike Sullivan sofreu algumas mudanças em seu elenco, que podem fazer com que os Penguins apostem em jogadores mais jovens, na busca do tri.

A maior perda foi o goleiro Marc-Andre Fleury, que será o titular do Vegas Golden Knights, nova franquia da liga. Com 691 jogos na carreira e três títulos, todos com a camisa dos Penguins, Fleury deixa a vaga para o jovem Matt Murray, que já mostrou ser capaz de assumir a responsabilidade e terá como reserva o experiente Antti Niemi, que não vem de boas campanhas com o Dallas Stars, mas que pode ser um bom reserva para Murray.

A saída de Nick Bonino também deixa uma vaga importante de center aberta no elenco. Por causa do teto salarial, os Penguins vão apostar em jovens, que deverão ter mais tempo de jogo como Jake Guentzel (sensação dos últimos playoffs), Conor Sheary e Bryan Rust. Na defesa, a aposta é no retorno de um saudável Kris Letang, que junto com Justin Schultz e Brian Dumolin, possam dar uma consistência defensiva forte.

O elenco pode estar mais fraco, mas os Penguins estarão brigando não só pelo título da divisão, mas pelo tricampeonato, que seria inédito para a franquia.

Briga por: título da divisão e Stanley Cup

CAROLINA HURRICANES

O GM do time, Ron Francis, trabalhou bastante na offseason e conseguiu realizar diversas mudanças no elenco dos Hurricanes. Em negociações diferentes, trouxe três jogadores ex-Blackhawks, reforçando a equipe. Scott Darling, reserva de Corey Crawford em Chicago, será o titular no gol de Carolina. Na defesa, Trevor Van Riedmsky se junta a um ótimo e jovem elenco de defesa, como Justin Faulk, Noel Hanifin e Jaccob Slavin, e Marcus Kruger vem dar força física e vitórias em faceoffs, jogando como center.

Mas a grande contratação dos Hurricanes se chama Justin Williams. O veterano, que estava no elenco do time na conquista da Stanley Cup de 2006, não conseguiu levar o Washington Capitals à grande final e tentará repetir o sucesso que experimentou há 12 anos atrás.

O elenco melhorou, a expectativa dos fãs aumentou e os Hurricanes podem, sim, brigar por uma vaga nos playoffs, apesar de estar em uma divisão disputadíssima.

Briga por: vaga de wild card aos playoffs

NEW JERSEY DEVILS

CHICAGO, IL - JUNE 23: Nico Hischier poses for a portrait after being selected first overall by the New Jersey Devils during the 2017 NHL Draft at the United Center on June 23, 2017 in Chicago, Illinois.Outra equipe que agitou a NHL durante a offseason, os Devils apostam no menino Nico Hischier, número 1 no Draft de 2017, para buscar retornar aos playoffs, o que não acontece desde 2012. O suíço deve ter bons minutos no gelo e pode ajudar o ataque do time, que foi o pior de toda a NHL na temporada passada.

Além de Hischier, o GM do time, Ray Shero, trouxe Marcus Johansson, ex-Washington Capitals, para aumentar o poderio ofensivo do time. O sueco marcou 24 gols na temporada passada, dois a menos que o artilheiro dos Devils, Kyle Palmieri. Drew Stafford, ex-Bruins, também chega com essa missão. Todos esses, junto com Taylor Hall e Pavel Zacha, podem melhorar bastante a parte ofensiva do time.

Na defesa, os Devils devem ter problemas. O capitão Adam Greene segue como uma estrela solitária no sistema defensivo, composto por muitos jovens, ainda sem experiência na NHL. O goleiro Corey Schneider terá bastante trabalho por mais uma temporada. A possibilidade de uma melhora na campanha é grande, mas numa divisão muito equilibrada como a Metropolitana, os Devils terão uma temporada bem complicada em 17-18.

Briga por: fugir da lanterna.

WASHINGTON CAPITALS

during the 2017 Coors Light NHL All-Star Skills Competition as part of the 2017 NHL All-Star Weekend at STAPLES Center on January 28, 2017 in Los Angeles, California.Foi mais uma temporada frustrante para o Washington Capitals. Apesar da conquista do troféu Presidente (pelo segundo ano seguid0), dado ao time de melhor campanha, os Capitals caíram, mais uma vez, para os Penguins na segunda rodada dos playoffs. Para 2017-2018, o elenco sofreu baixas e a caminhada pode ser mais sofrida para o time de Alex Ovechkin.

Seja por trocas ou por free agency, o elenco perdeu peças importantes. Marcus Johansson, Karl Alzner, Justin Williams e Kevin Shattenkirk não estão mais no time e, devido à situação do teto salarial, a reposição será uma aposta em jovens.

Talvez mais do que nunca, os Capitals irão depender de seu capitão, Alex Ovechkin. Não só os 30, 40 gols por temporada, mas construir um ataque mais dinâmico, mais poderoso, e não tão previsível como foi nas últimas temporadas. Mesmo com as perdas, os Capitals ainda são uma grande equipe e devem retornar aos playoffs. Com o goleiro Braden Hotlby em grande forma, a equipe se credencia ao título da divisão e uma boa posição na pós-temporada.

Briga por: vaga direta aos playoffs

NEW YORK RANGERS

O New York Rangers demonstrou uma força de elenco na temporada passada, derrotando o Montreal Canadiens na primeira rodada dos playoffs e por muito pouco, não passou pelo Ottawa Senators. Em 17-18, o elenco comandado por Alan Vigneault tem o desafio de retornar as finais da NHL, o que aconteceu em 2014.

O time perdeu o center Derek Stepan e o goleiro reserva Antti Raanta, para o Arizona Coyotes, e eles devem fazer falta. Stepan era o principal center do time e Raanta substituiu muito bem a Henrik Lundqvist, chegando até a assumir como titular durante a temporada regular.

Na defesa, o time viu a saída de Kevin Klein, que se aposentou e Dan Girardi, que assinou um contrato com o Tampa Bay Lightning. Mas os Rangers apostaram e levaram o maior prêmio da free agency, o também defensor Kevin Shattenkirk. O ex-jogador dos Blues e Capitals vem para capitanear o power play do time, além de ajudar muito na construção do ataque.

Se na defesa, veio o maior reforço, também é a maior dor de cabeça dos Rangers. Além de Shattenkirk, o time tem o capitão Ryan McDonagh e uma lista recheada de jovens, dando destaque para Brady Skjei. Numa divisão de adversários com grande poder ofensivo, isso pode ser um grande problema para os Rangers pensando em algo maior.

Briga por: título da divisão

COLUMBUS BLUE JACKETS

Panarin assina extensão contratual com o BlackhawksA grande surpresa da temporada passada terá um ano de afirmação dentro da NHL. John Tortorella tem o desafio de tornar os Blue Jackets uma realidade na liga, participando da pós-temporada de uma forma regular.

O time trouxe a estrela russa Artemi Panarin, ex-Blackhawks, para aumentar o poder ofensivo. Perdeu o veterano Brandon Saad na troca, mas se Panarin mantiver o ritmo da última temporada, quando marcou 31 gols e 43 assistências, será um dos pilares do ataque dos Blue Jackets, junto com Cam Atkinson e Alex Wennberg.

A defesa segue forte, com Seth Jones, Jack Johnson e Zach Werenski, que foi finalista do troféu Calder, de melhor rookie da temporada passada. A grande estrela é o goleiro Sergei Bobrovsky, eleito melhor na posição, levando o troféu Vezina e o maior responsável pela bela campanha do time em 16-17. Tortorella tem tudo pra levar de novo o time a pós-temporada.

Briga por: título da divisão

NEW YORK ISLANDERS

No meio da temporada passada, os Islanders decidiram pela troca de treinador, demitindo Jack Capuano e trazendo Doug Weight. A mudança não surtiu o efeito desejado e o time acabou ficando de fora dos playoffs. E para 2017-2018?

A estrela John Tavares seguirá carregando o time em busca da pós-temporada. O ano dele será pautado com conversas sobre a possível renovação de contrato, o que pode atrapalhar o andamento da temporada. As saídas do elenco foram do defensor Travis Hamonic, além de Ryan Strome e do goleiro Jean-Francois Berube.

Jordan Eberle é o reforço de peso que Garth Snow trouxe para o elenco. Se conseguir repetir seus melhores momentos com os Oilers, pode ajudar Tavares na pontuação do time. A aposta também cai no colo dos jovens, principalmente Joshua Ho Sang e Matthew Barzal.

Thomas Greiss e Jaroslav Halak devem dividir o gol dos Islanders e mesmo com uma defesa sólida, eles deverão passar dificuldades durante a temporada.

Briga por: fugir da lanterna

PHILADELPHIA FLYERS

Os Flyers terão mais um ano para demonstrar se seu elenco é capaz de retornar aos melhores dias da franquia. Se Claude Giroux, Jakub Voracek e Wayne Simmonds são a esperança de gols no placar, os outros setores da equipe geram mais dúvidas do que certezas. O treinador David Hakstol terá muito trabalho para conseguir sobreviver à disputa na divisão Metropolitana.

No gol, sai Steve Mason e chega Brian Elliott para ser o titular. Elliott teve seus anos de sucesso com os Blues, mas foi muito mal na temporada passada, defendendo o gol do Calgary Flames. Chega mais como dúvida do que garantia de boas atuações. Na defesa, a esperança é que Shayne Gotisbehere retorne ao nível apresentando em 2015-2016, quando foi finalista do troféu Calder. Seus sete gols e 32 assistências na temporada passada, onde chegou a ficar fora da relação de algumas partidas, acenderam o sinal de alerta. Ivan Prodorov e Radko Gudas têm a missão de moldar o sistema defensivo do time, fundamental para a chegada aos playoffs.

Os Flyers dependem das suas estrelas, de uma boa defesa e de ótimas atuações de Elliott. São muitas dúvidas e poucas certezas antes do começo da temporada 17-18. Numa divisão acirrada, poderemos ter mais uma pós-temporada longe de Philadelphia.

Briga por: vaga no wild card

Fotos: Dave Sandford – Pool/Getty Images; Divulgação NHL.com / Steve Revere (Getty Images) / Bruce Bennett (Getty Images) 

Oddsshark