19/02/2020 - 19h14

TOP 5: os melhores jogadores de linha defensiva do Draft da NFL de 2020

Confira os melhores jogadores disponíveis para reforçar a linha defensiva do seu time no recrutamento de 2020

Chase Young, defensive end de Ohio StateA temporada da NFL chegou ao fim – o que significa que já é hora de voltarmos as atenções para o Draft. E, como de praxe, o The Playoffs traz mais uma série apresentando os cinco melhores prospects de cada posição.

Se o seu time está precisando de ajuda na linha defensiva, a classe de 2020 traz opções interessantes. Após seguidos anos com muito talento na posição, agora, o recrutamento tem tudo para ser de jogadores de ataque. No entanto, existe qualidade entre jogadores de DL, para pressionar o quarterback adversário e, sobretudo, auxiliar na contenção do jogo terrestre. E arrisco dizer que dois deles podem até ser selecionados entre as cinco primeiras escolhas, em meio à busca incessante por quarterbacks no início do recrutamento.

Vamos aos cinco principais prospectos de linha defensiva para o Draft de 2020:

Lembrando que: 1. as opiniões aqui são baseadas na análise do autor; 2. a ordem abaixo não significa necessariamente a ordem em que eles devem ser escolhidos, uma vez que cada time pode ter diferentes visões e necessidades no Draft.

(Foto: Reprodução Twitter / Ohio Football)

1. Chase Young – defensive end (Ohio State)

Chase Young é, discutivelmente, o melhor prospecto de todo o Draft de 2020. Sobra talento para o defensor de Ohio State e não fosse o desespero do Cincinnati Bengals por um novo quarterback, o produto dos Buckeyes poderia ser unanimidade como a primeira escolha geral.

Quanto aos jogadores de defesa, não há dúvidas que Young é, de longe, o mais talentoso da classe. Seu nome esteve na briga pelo Heisman Trophy de 2019 – prêmio concedido ao melhor jogador universitário da temporada – e foi dominante em seus dois últimos anos em Ohio State. Após Nick Bosa ter sido selecionado como o melhor defensive end do Draft de 2019, Young deve trilhar o mesmo caminho de seu ex-companheiro de universidade, e quem sabe até causar um impacto ainda maior.

Com Bosa fora de ação por quase toda temporada de 2018, Young assumiu o protagonismo da defesa dos Buckeyes e mostrou suas credenciais, fechando a temporada com 34 tackles (15,5 para perda de jardas), 10,5 sacks, cinco passes desviados e dois fumbles forçados. No ano seguinte, foram 16,5 sacks, 46 tackles, seis fumbles forçados, três passes desviados e um chute bloqueado. O jogador foi o líder absoluto em sacks e fumbles forçados em sua última temporada universitária, e venceu os prêmios de melhor jogador de linha defensiva do ano e melhor defensor do ano.

Conquistas justificadas pela habilidade técnica e atlética demonstradas dentro de campo. Young tem um primeiro passo que salta aos olhos. Velocidade, explosão, ótimo trabalho de mãos e técnica apurada são alguns elementos presentes em seu pacote.

E não só a capacidade em perseguir o quarterback adversário chama atenção no jogo do prospecto de OSU. O jogador se destaca por ler screen plays como poucos, possibilitando muitos passes desviados na linha de scrimmage, além de contribuir na contenção do jogo terrestre.

Trabalho de pés e habilidade em provocar turnovers também estão em sua cesta de habilidades, para completar a análise de um prospecto quase perfeito. Não há muitas deficiências em seu jogo, entretanto, ganhar mais massa muscular deve estar entre suas prioridades para se estabelecer como um dos melhores de sua posição no estágio profissional.

2. Derrick Brown – defensive tackle (Auburn)

Para muitos analistas, Brown foi o melhor jogador de toda Conferência SEC na última temporada – não chamado Joe Burrow -, tornando-se o líder da impressionante linha defensiva de Auburn.

Em seu último ano de elegibilidade, o defensor dos Tigers contabilizou 54 tackles (11,5 para perda de jardas), quatro sacks, quatro passes desviados, dois fumbles forçados e dois recuperados.

O prospecto de Auburn talvez seja o defensive tackle mais bem avaliado desde a seleção de Aaron Donald, selecionado na 13º escolha do Draft de 2014, pelo então St. Louis Rams.

Brown possui uma combinação assustadora de tamanho, força e velocidade. Capaz de provocar o colapso no pocket e invadir com facilidade o backfield adversário, tanto em jogadas de passes como em chamadas terrestres. Extremamente ágil em relação ao seu tamanho, Brown tem ótimo primeiro passo, se comparado aos melhores defensive ends, e técnica refinada no que se refere ao uso de suas mãos.

Contra o jogo corrido, o defensor faz boas leituras, e por sua habilidade atlética, é capaz de conter os avanços com alguma facilidade.

3. Javon Kinlaw – defensive tackle (South Carolina)

Kinlaw tem tudo para ser selecionado no primeiro dia do recrutamento por qualquer equipe que deseja reforçar o interior de sua linha defensiva. O que mais impressiona no produto de South Carolina é seu tamanho. Do alto de seus 1,98m e 140 kg, Kinlaw é um atleta construído para vencer as batalhas nas trincheiras com sua imposição física.

Habilidade em romper os bloqueios e desestabilizar o pocket com regularidade estão entre suas principais características. Em seu último ano de carreira universitária, o defensor acumulou 35 tackles, seis sacks, dois passes desviados e outros dois fumbles recuperados.

O defensor ainda apresenta algumas deficiências e precisa trabalhar em sua técnica de pass rush para ter sucesso no nível profissional, contudo, a margem de evolução é extremamente alta. Contra o jogo terrestre, possui facilidade em se desvencilhar de bloqueios simples, mas pode ser neutralizado em bloqueios angulados e contra marcação dupla.

De modo geral, o produto de South Carolina é visto como escolha alta no próximo Draft e tem talento suficiente para figurar no Pro Bowl num futuro não muito distante.

4. Ross Blacklock – defensive tackle (TCU)

Blacklock é um jogador de interior de linha defensiva dinâmico. Como pass rusher, demonstra explosão, força atlética e técnica de bull rush apurada. O defensor de TCU raramente é empurrado para trás no primeiro contato, e sua envergadura possibilita a separação necessária para finalizar as jogadas.

Contendo o jogo terrestre, Blacklock é dominante contra bloqueios simples, e sua presença atlética e leitura de jogadas fazem dele uma verdadeira ameaça contra running backs adversários. A preocupação é quanto à sua longevidade. O jogador contundiu o tendão de Aquiles, que o deixou fora de combate por toda a temporada de 2018.

Em 2019, no entanto, Blacklock mostrou estar 100% recuperado ao somar 40 tackles (nove para perda de jardas) e 3,5 sacks. O motor do produto de TCU é uma de suas características mais marcantes. Não é incomum ver o jogador perseguindo screen passes ou atrás de scrambles de quarterbacks adversários com força e intensidade.

O jogo de hoje exige atleticismo e defensive tackles versáteis que possam ser confiáveis em situações como essas. Blacklock não deixa absolutamente nada a desejar nesse aspecto.

5. A.J. Epenesa – defensive end (Iowa)

Epenesa é um pass rusher de técnica refinada com todos os atributos que o nível profissional exige. Tamanho, força, explosão, velocidade e agilidade são alguns dos elementos de seu jogo. Bom trabalho de mãos, swing e flip moves, além de finalizar bem as jogadas, o tornam um dos ótimos talentos da classe de 2020.

O produto de Iowa provou ser um verdadeiro playmaker em suas últimas duas temporadas universitárias, acumulando 30,5 tackles para perda de jardas, 22 sacks, oito fumbles forçados e sete passes desviados.

Epenesa é um prospecto com variedade incrível de atributos físicos e técnica refinada, que o credenciam como titular de qualquer esquema 4-3 assim que for selecionado. Ponto a ser trabalhado é a intensidade. Parece faltar gás no tanque do jogador para se consolidar como um three down edge.

Isso posto, o defensor tem grande margem de evolução e tem tudo para registrar de oito a dez sacks por temporada de forma consistente na liga profissional.

LEIA MAIS

ESPECIAL TOP 5 – NFL DRAFT 2020

+ Os 5 melhores quarterbacks

Oddsshark