23/04/2019 - 19h06

[ESPECIAL] Mock Draft NFL 2019 do The Playoffs #9

A apenas dois dias do Draft, o The Playoffs traz uma nova projeção para as escolhas da primeira rodada

Quarterback Kyler Murray é um dos favoritos à primeira escolha do Draft da NFL de 2019O Draft da NFL é um evento tão importante que chega a ser mais esperado que muitos jogos de futebol americano. Afinal, quem seu time escolherá na primeira rodada do recrutamento? O Mock Draft do The Playoffs segue tentando descobrir!

Na parte 9 do nosso mock, Fernando Ferreira apresenta os seus palpites a apenas dois dias do grande evento. Certas tendências parecem cada vez mais consolidadas, porém a possibilidade de uma troca no dia do Draft sempre existe.

Confira a análise e como ficaria a seleção dos prospectos segundo ele:

(Foto: Reprodução Twitter/NFL)

MOCK DRAFT NFL 2019: THE PLAYOFFS

#1 – Arizona Cardinals: Kyler Murray (QB – Oklahoma)

Seria este um dos segredos mais mal guardados desta primeira rodada ou uma smokescreen gigantesca? Apostando no mais óbvio, os Cardinals seguem com o reset completo do rebuild iniciado em 2018 e selecionam o quarterback preferido do novo head coach Kliff Kingsbury. Murray e Kingsbury já trabalharam juntos em Texas A&M, com o então auxiliar sendo um dos responsáveis pelo recrutamento do jogador. A familiaridade com os conceitos da air raid também deve pesar na escolha. A grande questão é o que fazer com Josh Rosen.

#2 – San Francisco 49ers: Nick Bosa (EDGE – Ohio State)

Anteriormente considerado o consenso para a primeira escolha geral, Nick Bosa cai uma posição antes de sair do board. O ex-jogador de Ohio State se une a Dee Ford para reforçar o pass rush dos 49ers. Muitas vezes apontado como principal talento da classe de 2019, Bosa chega para causar um impacto imediato na defesa de San Francisco.

New York Jets

#3 – New York Jets: Josh Allen (EDGE – Kentucky)

Com Bosa já fora da lista de opções, os Jets encontram em Josh Allen o edge rusher tão desejado. Recrutado para Kentucky como um jogador de apenas duas estrelas, Allen ganhou espaço aos poucos antes de explodir de vez em 2018. O ex-Wildcat também tem capacidade para causar um impacto imediato.

#4 – Oakland Raiders: Quinnen Williams (DT – Alabama)

Outro nome frequentemente citado na lista de melhores do Draft, Quinnen Williams entra no range dos Raiders e não passa daqui. Williams ganhou espaço com a ida de Da’Ron Payne para a NFL e aproveitou a oportunidade. Dominante pelo interior da linha defensiva, o defensive tackle é mais um nome para um interessante núcleo de jovens jogadores dos Raiders.

#5 – Tampa Bay Buccaneers: Devin White (ILB – LSU)

Precisando renovar um bom número de contratos, os Buccaneers deixaram Kwon Alexander seguir para os 49ers durante a free agency. O time de Bruce Arians encontra o substituto já no Draft. Vindo da mais talentosa unidade defensiva do college football, o ex-LSU possui todas as características necessárias para a posição. Atlético e versátil para defender passes e corridas, White soluciona imediatamente um dos problemas de Tampa Bay.

New York Giants

#6 – New York Giants: Montez Sweat (EDGE – Mississippi State)

Antes que o torcedor dos Giants desista de ler este Mock Draft, adianto que o time escolherá um quarterback mais adiante. No entanto, com outras necessidades no elenco, o Big Blue reforça o pass rush com o melhor talento disponível. Montez Sweat foi um dos destaques de Mississippi State em 2018 e ganhou cada vez mais espaço entre os scouts. O time de New York não perde a oportunidade e escolhe mais um talento dentro da forte classe de edge rushers.

#7 – Jacksonville Jaguars: Jawaan Taylor (OT – Florida)

O Jacksonville Jaguars resolveu o que era considerado por muitos como principal problema do time ao contratar Nick Foles. No entanto, Blake Bortles esteve longe de ser o único ponto negativo em 2018. Para proteger o novo investimento, os Jaguars reforçam um dos setores mais fracos da última temporada com a melhor opção disponível. Embora a classe não seja tão forte na linha ofensiva, Taylor aparece como principal valor para o setor.

#8 – Detroit Lions: Rashan Gary (EDGE – Michigan)

Mais um edge rusher selecionado no top 10, Rashan Gary segue em Michigan e se junta ao time de Matt Patricia. Fazendo dupla com o ex-New England Patriots Trey Flowers, Gary oferece um reforço para o pass rush do Detroit Lions. Tendo a capacidade atlética como principal característica, ele envolve algum risco, mas tem a chance de se desenvolver dentro dos Lions e atingir o potencial esperado.

#9 – Buffallo Bills: T.J. Hockenson (TE – Iowa)

Depois de selecionar o franchise quarterback em 2018, o objetivo para o Buffallo Bills é construir o time ao redor de Josh Allen. Após reforçar o grupo de wide receivers durante a free agency, o time tira a sorte grande e vê o excepcional tight end de Iowa disponível. Hockenson resolve uma das carências do elenco de forma imediata e passa a integrar o núcleo do rebuild. Capaz de executar bem as funções de bloqueador e recebedor, T.J. Hockenson pode estabelecer a conexão com Allen, o que seria positivo para o futuro do time.

#10 – Denver Broncos: Drew Lock (QB – Missouri)

Após os fracassos com Paxton Lynch e Case Keenum, os Broncos enfim esperam enfim ter encontrado um franchise quarterback. Talvez o melhor jogador da posição na classe, Lock não terá problemas em seguir o “modelo Mahomes” e passar uma ou duas temporadas como backup de Joe Flacco. Apesar do talento, o ex-jogador de Missouri ainda não está preparado para ser titular imediatamente.

#11 – Cincinnati Bengals: Dwayne Haskins (QB – Ohio State)

A ligação entre Dwayne Haskins e o Cincinnati Bengals ganhou força nas últimas semanas. O quarterback começa a cair nos boards, enquanto o novo head coach dos Bengals, Zac Taylor, poderá contar com um talento jovem para desenvolver na posição. Seguindo em Ohio, Haskins passará algum tempo como backup de Andy Dalton antes de assumir a vaga de titular.

New York Giants

#12 – TROCA!* New York Giants (via Green Bay Packers): Daniel Jones (QB – Duke)

Os Giants aguardam o momento certo e sobem algumas escolhas, em possível troca com os Packers, para não correr o risco de perder Daniel Jones para os Redskins. Apesar de não ser um talento fora de série, Jones consegue conduzir um ataque e também pode resolver com as pernas caso necessário. Como Eli Manning deve seguir como titular por pelo menos mais uma temporada, o ex-jogador de Duke terá a oportunidade de aprender como backup.

* A troca mencionada é uma projeção do autor, não estando concretizada ainda.

#13 – Miami Dolphins: Clelin Ferrell (EDGE – Clemson)

Realisticamente, as perspectivas dos Dolphins para 2019 não são das mais animadoras. Sendo assim, o time pode se dar ao luxo de seguir em compasso de espera e conseguir uma escolha alta para a ótima classe de quarterbacks em 2020. Dessa forma, Miami reforça outro ponto fraco da equipe e seleciona Clelin Ferrell. Mais um talento do grupo de edge rushers, o ex-Clemson reforça um elenco que perdeu Robert Quinn e Cameron Wake.

#14 – Atlanta Falcons: Ed Oliver (DT – Houston)

Precisando de reforço no interior da linha defensiva, os Falcons agradecem ao ver Ed Oliver ainda disponível. O defensive tackle já foi unanimidade como primeira escolha geral, mas caiu e subiu nas boards ao longo de todo o processo. Apesar dos questionamentos com relação ao tamanho e também a problemas extra-campo com a comissão técnica no college football, Oliver é um dos jogadores mais talentosos da classe.

#15 –  Washington Redskins: Brian Burns (EDGE – Florida State)

Sem ter demonstrado interesse em um trade up e com todos os quarterbacks de primeira rodada já fora do board, os Redskins podem buscar uma troca por Josh Rosen, arriscar nas outras rodadas do Draft ou esperar por 2020. Apresentando necessidades em diversas posições, o time da capital escolhe o edge rusher de Florida State. Apesar de muitos questionamentos com relação à força física, Burns é um playmaker excepcional, além de versátil.

#16 – Carolina Panthers: Andre Dillard (OT – Washington State)

Os Panthers conseguem um reforço para uma das necessidades imediatas do elenco. Dillard conseguiu marcas expressivas no Combine e aparece potencialmente como o melhor left tackle disponível no Draft.

#17 – TROCA!* Green Bay Packers (via New York Giants, Cleveland Browns): Devin Bush (ILB, Michigan)

Mais picks para os Packers com o trade down. De quebra, o time ainda garante Devin Bush para reforçar a posição de linebacker. Apesar da estatura abaixo da média para a posição, Bush é versátil o bastante para defender passes e conter o jogo corrido, com possibilidade de contribuir imediatamente.

* A troca mencionada é uma projeção do autor, não estando concretizada ainda.

#18 – Minnesota Vikings: Jonah Williams (OL – Alabama)

Apesar de atuar como left tackle no college football, Williams talvez precise fazer a transição para guard na NFL devido em grande parte ao comprimento dos braços. Com uma vaga na posição, os Vikings selecionam o jogador de Alabama, apontado muitas vezes como o principal talento de linha ofensiva na classe de 2019 do Draft.

#19 – Tennessee Titans: Noah Fant (TE – Iowa)

Delaine Walker perdeu efetivamente toda a temporada de 2018. Em 2019, o veterano completará 35 anos. Com Noah Fant ainda disponível, o time de Tennessee reforça o fraco grupo de recebedores e oferece mais uma arma para que Marcus Mariota possa, enfim, engrenar na NFL.

#20 – Pittsburgh Steelers: Greedy Williams (CB – LSU)

Frequentemente apontado como o cornerback mais talentoso do Draft, Greedy Williams é o primeiro jogador da posição a ser selecionado e cai para o range dos Steelers. O defensive back de LSU possui uma excelente estatura e capacidade atlética acima da média, sendo o reforço que o time de Pittsburgh necessita.

#21 – Seattle Seahawks: Jaylon Ferguson (EDGE – Louisiana Tech)

Depois de trocar Frank Clark para o Kansas City Chiefs, os Seahawks buscam um edge rusher no Draft como substituto. Ferguson ainda precisa resolver problemas relacionados ao peso e melhorar a capacidade atlética, mas possui uma força física acima da média. Com o trabalho adequado, o jogador de Louisiana oferece uma solução para o time de Seattle.

#22 – Baltimore Ravens: D.K. Metcalf (WR – Ole Miss)

Os Ravens precisarão trabalhar com as limitações de Lamar Jackson em 2019, e oferecer o melhor wide receiver da classe é um bom começo. Metcalf melhora de forma imediata o grupo de recebedores do time, além de servir como um playmaker capaz de compensar os defeitos de Jackson enquanto passador.

Houston Texans

#23 – Houston Texans: Cody Ford (OL – Oklahoma)

Os sacks sofridos por Deshaun Watson foram tema recorrente nas discussões a respeito do Houston Texans em 2018. Podendo atuar como tackle e guard, Ford oferece proteção imediata ao quarterback.

#24 – Oakland Raiders (via Chicago Bears): Byron Murphy (CB – Washington)

Precisando suprir necessidades em quase todas as partes do elenco, os Raiders reforçam a secundária com o talentoso cornerback de Washington. Apesar do porte físico abaixo da média, Murphy é um excelente playmaker e com destaque especial para a leitura de jogadas.

#25 – Philadelphia Eagles: Greg Little (OL – Ole Miss)

Sem muitos parceiros viáveis para um trade down, os Eagles reforçam o lado esquerdo da linha ofensiva e arriscam um reach em Greg Little. O tackle de Ole Miss não é unanimidade entre os scouts devido a alguns questionamentos quanto ao comprometimento do jogador. Little também enfrentou problemas com a forma física, mas possui potencial para se desenvolver como titular na NFL.

#26 – Indianapolis Colts: Christian Wilkins (DT – Clemson)

Os Colts agradecem pela oportunidade e não permitem uma queda maior de Wilkins. O defensive tackle campeão nacional no college football tem a capacidade atlética como principal característica. Apesar de não possuir tanta força, Wilkins consegue utilizar bem o tamanho para compensar e consegue causar estragos contra as linhas ofensivas adversárias.

#27 – Oakland Raiders (via Dallas Cowboys): Irv Smith Jr. (TE – Alabama)

Sem Jared Cook, que seguiu para o New Orleans Saints, os Raiders encontram um substituto ainda na primeira rodada. Considerado um jogador em desenvolvimento, Smith apresenta as ferramentas necessárias para se tornar uma referência na posição. Uma escolha válida para um time que segue em processo de reconstrução.

#28 – Los Angeles Chargers: Dexter Lawrence (DT – Clemson)

A posição de defensive tackle é uma das principais necessidades dos Chargers no Draft. Lawrence utiliza bem o tamanho para dificultar a vida da linha ofensiva adversária e é excelente contra o jogo terrestre, embora precise melhorar o preparo físico.

#29 – Seattle Seahawks (via Kansas City Chiefs): Darnell Savage (S – Maryland)

Os Seahawks possuem apenas cinco escolhas no Draft, mas a troca com os Chiefs confirmada nesta terça-feira (e que eu até projetava que aconteceria nos meus primeiros esboços) ao menos garante uma segunda escolha na primeira rodada. Precisando compensar a saída de Earl Thomas, os Seahawks buscam um novo safety. Savage ganhou espaço recentemente, visitou o time de Seattle e aparece como uma potencial escolha de primeira rodada. Apesar de não ter um porte físico excepcional, o jogador de Maryland é um excelente atleta e trabalha bem defendendo passes.

#30 – Green Bay Packers (via New Orleans Saints): Juan Thornhill (S – Virginia)

Com Juan Thornhill, os Packers encontram o complemento para Adrian Amos. Cornerback de origem, o safety de Virginia tem uma excelente combinação de tamanho, preparo físico e leitura de jogo. Uma escolha que oferece versatilidade e pode contribuir imediatamente.

Los Angeles Rams

#31 – Los Angeles Rams: Garrett Bradbury (C – NC State)

Os Rams optaram por não trazer Jonathan Sullivan de volta para 2019. Sem muitas alternativas para subir na ordem, o time toma a decisão mais óbvia e escolhe o center de NC State. Tight end convertido em left guard e finalmente em center, Bradbury foi eleito o melhor jogador da posição em 2018 no college football e ganhou ainda mais espaço com uma exibição sólida no Combine.

#32 – New England Patriots: N’Keal Harry (WR – Arizona State)

Embora haja necessidades maiores no elenco, os Patriots acrescentam mais uma arma para Tom Brady. Harry é um wide receiver grande e uma constante ameaça em lançamentos de profundidade. Sem ter um tight end disponível no range da escolha, New England ao menos encontra um bom complemento para Julian Edelman e mais um alvo para Tom Brady.

Mock Draft The Playoffs: Versão 1 | Versão 2Versão 3 | Versão 4 | Versão 5

Versão 6 | Versão 7 | Versão 8| Versão Consensus

Oddsshark