03/04/2019 - 17h55

[ESPECIAL] Mock Draft NFL 2019 do The Playoffs #6

Quem será o primeiro escolhido no próximo Draft? E o primeiro escolhido pelo seu time? Confira nossos palpites atualizados

O Draft de 2019 da NFL começa em 25 de abril e não se fala em outra coisa na Liga. Afinal, quem seu time escolherá na primeira rodada do recrutamento? O Mock Draft do The Playoffs tentará descobrir!

Nosso objetivo é tentar te ajudar a entender melhor as possibilidades. Toda semana, teremos mock novo, com diferentes redatores do TP, explorando também diferentes possibilidades.

Na parte 6 do nosso mock, Emmanuel Macedo apresenta os seus palpites já baseado nas contratações da Free Agency da NFL de 2019 e andamento dos Pro Days das principais universidades americanas. Muita coisa pode ter mudado nesta última semana e você poderá observar isso já nesta previsão – desde a escolha 1.

Confira a análise e como ficaria a seleção dos prospectos segundo ele:

MOCK DRAFT NFL 2019: THE PLAYOFFS

#1 – Arizona Cardinals: Kyler Murray (QB – Oklahoma)

Fica cada dia mais difícil achar que os Cardinals não irão selecionar Kyler Murray na 1ª rodada do próximo Draft. Mesmo em um cenário ainda bem indefinido sobre o futuro de Josh Rosen (talvez seja envolvido em alguma troca), acredito que Arizona tem razões suficientes para ter Murray liderando o ataque do time dirigido pelo técnico Kliff Kingsbury. Confirmando as previsões, Kingsbury ainda precisará construir um bom corpo ofensivo em torno do talentoso QB oriundo de Oklahoma e atual vencedor do Heisman Trophy.

#2 – San Francisco 49ers: Nick Bosa (EDGE – Ohio State)

Caso os Cardinals não resolvam surpreender a todos e acabem escolhendo Bosa ao invés de Murray, o defensive end vindo de Ohio State Buckeyes será uma boa adição ao time de San Francisco e pode ajudar a tornar a linha defensiva dos 49ers, ao lado de DeForest Buckner e Dee Ford (ex-Kansas City Chiefs), um tanto complicada de se enfrentar, com boa capacidade de colocar pressão e gerar estragos nos ataques de adversários.

#3 – New York Jets: Josh Allen (EDGE – Kentucky)

Josh Allen chega para preencher a função que seria de Anthony Barr (atualmente, no Minnesota Vikings). Allen consegue transformar velocidade em potência como poucos e é habilidoso para atuar tanto no pass rush quanto na cobertura defensiva. Ainda em processo de amadurecimento de seu jogo, Josh Allen tem tudo para ser dominante evitando corridas e sendo um pass rusher de respeito. Vindo de uma boa temporada no College Football em 2018, é pouco provável que o vejamos ser escolhido fora do top 5.

#4 – Oakland Raiders: Quinnen Williams (DT – Alabama)

Quinnen é uma opção bem interessante a ser considerada pelos Raiders. Vindo da poderosa Alabama, o defensor possui instintos, rapidez e atleticismo que podem levar suas habilidades contra passes e corridas a outro nível; o jogador já provoca alguns problemas nos backfields adversários. Williams, junto de Maurice Hurst e Arden Key, pode fortalecer (e muito) o setor defensivo do time dirigido pelo técnico Jon Gruden e que sonha em voltar à pós-temporada.

#5 – Tampa Bay Buccaneers: Devin White (ILB – LSU)

A saída de Kwon Alexander para o San Francisco 49ers deixou um belo vazio a ser preenchido pelo time do estado da Flórida. Sua altura, força, competitividade e dinamismo fazem dele uma das melhores opções de sua posição entre os disponíveis para este Draft. White tem tudo para se tornar um ponto de referência no setor defensivo dos Buccaneers, caso a franquia decida fazer sua aposta no jogador.

#6 – New York Giants: Dwayne Haskins (QB – Ohio State)

Difícil imaginar o que o New York Giants fará no próximo Draft, mas uma coisa faz sentido dizer: está chegando a hora da franquia pensar no sucessor de Eli Manning. Haskins ser escolhido no top 6 é um cenário bem plausível e considerável. Mesmo sem muita experiência e com pouca mobilidade, o quarterback de Ohio State possui talento expressivo, confiança e um poderoso braço, que lhe permitirá sair de situações complicadas de jogo, das quais outros QB’s não conseguiriam obter sucesso.

#7 – Jacksonville Jaguars: Jawaan Taylor (OT – Florida)

Os Jaguars investiram e agora contam com o QB Nick Foles, campeão do Super Bowl no Philadelphia Eagles. O passo seguinte é investir na proteção de seu novo quarterback; selecionar Taylor é parte importante desse processo. O right tackle tem pés rápidos e um porte físico que lhe permite tirar os adversários do caminho sem maiores problemas. Jawaan vai precisar de alguns aprimoramentos, mais o time de Jacksonville – necessitando de maior efetividade de seu jogo – pode encontrar nele uma boa dose de segurança.

#8 – Detroit Lions: Montez Sweat (EDGE – Mississippi State)

Montez teve ótima performance no Combine e chamou atenção de possíveis interessados, mostrando ser um pass rusher com bom potencial e um dos melhores DE’s disponíveis – ainda que precise ser aprimorado. A maior preocupação sobre o jogador reside em um problema cardíaco de menor gravidade, que pode acabar fazendo Sweat cair nas cotações para o Draft. Caso seu histórico médico não pese contra, o defensor oriundo de Mississippi State – ao lado do recém-contratado DE Tyler Flowers – pode formar uma dupla relevante e da qual o técnico Matt Patricia pode tirar bastante proveito.

#9 – Buffalo Bills: Ed Oliver (DT – Houston)

Os Bills precisam de um wide receiver que faça a diferença dentro do esquema de jogo do técnico Sean McDermott, sendo um providencial alvo para o QB Josh Allen. Apesar de ser subestimado por sua altura, Oliver é rápido e habilidoso. Suas temporadas no College Football serviram para demonstrar várias das qualidades que possui, entre elas: fluidez, agilidade, raro atleticismo e fisicalidade.

#10 –  Denver Broncos: Drew Lock (QB – Missouri)

Mesmo com a recente contratação de Joe Flacco (ex-Baltimore Ravens), é plausível imaginar que a franquia do estado do Colorado possa selecionar o jovem Drew Lock na sua 1ª escolha do próximo Draft. Lock tem boa leitura de jogo, um braço talentoso e pode encontrar no veterano Flacco um mentor, para ajudá-lo durante o processo de amadurecimento e aprimoramento dentro da liga. Apesar de algumas limitações, o fruto de Missouri atraiu a atenção e o interesse de John Elways.

#11 – Cincinnati Bengals: Devin Bush (ILB – Michigan)

Os Bengals renovaram com o MLB Preston Brown e precisam se garantir depois da saída de Vontaze Burfict para o Oakland Raiders. Bush poderia passar despercebido, mas prova seu valor ao demonstrar várias qualidades (velocidade, pernas fortes para superar bloqueadores, jogo forte e amplo, potência e capacidade atlética). Devin é um jogador implacável e muito produtivo.

#12 – Green Bay Packers: T.J. Hockenson (TE – Iowa)

Os Packers e, principalmente, Aaron Rodgers podem se beneficiar e muito de Hockenson. Com rapidez, bom controle de corpo e mãos, o jogador vindo de Iowa é um bloqueador devastador e leva vantagem no confronto com os defensores adversários. T.J. também possui atleticismo acima da média, é competitivo, possuindo números ofensivos relevantes no College; assim, confirma sua capacidade para ser um alvo confiável dentro do esquema de jogo da equipe de Green Bay – se ela decidir por selecioná-lo.

#13 – Miami Dolphins: Clelin Ferrell (DE – Clemson)

Com as saídas de Robert Quinn (Dallas Cowboys) e Cameron Wake (Tennessee Titans), os Dolphins preencher a lacuna deixada na posição de defensive end. Ferrell tem potência e velocidade, tento feito parte da cultura vitoriosa de Clemson, atual campeã nacional. O defensor também possui força e boa capacidade produtiva no que diz respeito tanto para lidar com o jogo corrido quanto para com o jogo aéreo.

#14 – Atlanta Falcons: Jonah Williams (OT – Alabama)

Jonah Williams tem experiência atuando como guard, left e right tackle por Alabama. Confortável principalmente como LT, Williams possui as ferramentas necessárias para enfrentar defensores, mesmo sem apresentar as características físicas esperadas de um jogador desta posição. Um dos OT’s mais técnicos disponíveis no próximo Draft, Jonah é cerebral, versátil e se dá bem em todas as facetas do jogo, fazendo dela uma escolha bem confiável para o ataque do técnico Dan Quinn.

#15 –Washington Redskins: Brian Burns (EDGE – Florida State)

Depois da saída do agente livre Preston Smith, os Redskins podem se beneficiar da adição de Brian Burns – um jogador explosivo, ágil e que prontamente serviria como fator de melhoria para o setor defensivo no time da capital dos Estados Unidos. Vindo de Florida State, Burns pode até ser visto apenas como um bom pass rusher, mas suas habilidades vão além disso e não podem ser desmerecidas.

#16 – Carolina Panthers: Andre Dillard (OT – Washington State)

Os Panthers anseiam por um jogador como Brian Burns, mas caso ele não esteja mais disponível neste momento do Draft, encontrariam em Andre Dillard um bom recurso no que tange à proteção de Cam Newton, ampliando a qualidade de sua linha ofensiva. Dillard apresenta ótima capacidade atlética (comprovada durante o Combine) que permite realizar qualquer bloqueio dele esperado.

#17 – New York Giants (via Cleveland Browns): Cody Ford (IOL – Oklahoma)

Com Dwayne Haskins selecionado na primeira escolha de primeira rodada, a franquia de Nova York pode gastar sua segunda escolha no Draft apostando em Cody Ford. A linha ofensiva dos Giants precisa ser reconstruída e se o jogador oriundo de Oklahoma ainda estiver disponível, os Giants terão ao seu alcance uma opção interessante para este processo, visando garantir proteção nos próximos anos. Ford é um jogador dominante, forte e potente, apresentando características inesperadas para alguém de seu porte físico.

#18 – Minnesota Vikings: Chris Lindstrom (IOL – Boston College)

Os Vikings sofreram sem a proteção devida para o QB Kirk Cousins na última temporada. Como forma de fugir deste destino, o time de Minnesota pode encontrar em Lindstrom a solução de seus problemas, ao lado de Josh Kline (ex-Tennessee Titans). O jogador é um dos melhores guards disponíveis para o Draft.

#19 – Tennessee Titans: Christian Wilkins (IDL – Clemson)

Os Titans precisam de renovação em sua linha defensiva e teriam em Christian Wilkins, uma peça de destaque para tal renovação. Oriundo da forte defesa de Clemson, Wilkins é um DT muito atlético e cheio de versatilidade, podendo atuar em diversos alinhamentos defensivos. Ele é um competidor intenso, podendo ser escolhido por times que estejam no meio da ordem de seleção da 1ª rodada.

#20 – Pittsburgh Steelers: Byron Murphy (CB – Washington)

Os Steelers perderam Antonio Brown e Le’Veon Bell, para Oakland Raiders e New York Jets, respectivamente. A equipe deve usar sua primeira escolha do Draft para melhorar a qualidade de seu setor defensivo. Byron Murphy mostrou ser dominante quando atuou na defesa de Washington. Sua rápida passagem pelo College Football foi importante para mostrar todo seu talento. Byron Murphy possui uma mescla de fisicalidade e recursos técnicos que funciona muito bem.

#21 – Seattle Seahawks: D.K. Metcalf (WR – Mississippi)

A linha ofensiva dos Seahawks tem preocupado a Pete Carroll e seu quarterback, Russell Wilson. Mas, mesmo com esse problema por resolver e com Doug Baldwin vindo de uma offseason de cirurgias, pode ser interessante pensar em um possível duo de recebedores formado por Tyler Lockett e D.K. Metcalf, não? Metcalf, melhor WR disponível neste ano, seria uma adição relevante ao ataque do time de Seattle. Entretanto, talvez o impressionante recebedor de Mississippi não fique dando sopa por tanto tempo no Draft, o que acabaria obrigando os Seahawks a focarem em tentar escolher alguém para a linha ofensiva – prioridade da equipe.

#22 – Baltimore Ravens: Marquise Brown (WR – Oklahoma)

Os Ravens precisam providenciar armas que possibilitem sua evolução enquanto QB. Uma dessas armas pode ser Marquise Brown, fruto do ataque de Oklahoma. Apesar de Marquise não ser do tipo de recebedor preferido do técnico John Harbaugh, ele atrai a atenção da defesa no jogo corrido e é muito capacitado para garantir que bolas lançadas em sua direção tenham a end zone como destino.

Resultado de imagem para houston texans

#23 – Houston Texans: Garrett Bradbury (C – N.C. State)

Deshaun Watson foi o jogador mais sacado da NFL na temporada de 2018, indicando que a linha ofensiva dos Texans necessita de reforço. O time de Houston deve buscar o melhor center disponível no Draft. Garrett Bradbury, oriundo de N.C. State, pode ser a peça decisiva a fim de garantir a proteção necessária a Watson.

#24 – Oakland Raiders (via Chicago Bears): Josh Jacobs (RB – Alabama)

Josh Jacobs é o mais talentoso do Draft na posição e chega para assumir o protagonismo de imediato. Com boa leitura de bloqueios, força, velocidade e boas mãos, Jacobs é uma escolha ótima para o jogo terrestre dos rapazes de Oakland.

#25 – Philadelphia Eagles: DeAndre Baker (CB – Georgia)

Em um grupo sem tantos talentos na posição de cornerback, os Eagles terão o melhor atleta disponível para a sua secundária. DeAndre Baker é especial na marcação individual e possui bom potencial de finalizar jogadas. Sua Combine, principalmente a corrida de 40 jardas, esteve longe do que dele se esperava. Entretanto, seu talento em não permitir separação dos adversários deve lhe garantir a seleção pelo time de Philadelphia.

#26 – Indianapolis Colts: Dexter Lawrence (DT – Clemson)

Dexter Lawrence tem um porte físico invejável, grande capacidade em conter avanços pelo interior da linha, como pressionar o quarterback adversário; Lawrence e Denico Autry podem formar uma ótima dupla na linha defensiva dos Colts, que precisam estar bem preparados para lidar com a pressão que seus colegas de AFC South podem fazer.

#27 – Oakland Raiders (via Dallas Cowboys): Irv Smith Jr. (TE – Alabama)

Os Raiders utilizam esta escolha na expectativa de encontrar um jogador substituto para Jared Cook (atualmente no New Orleans Saints) e trazer uma opção no jogo aéreo que. Irv Smith Jr. é mais um dos sempre ótimos prospectos de Alabama com capacidade de receber passes pelo meio e representa uma ameaça na end zone dos adversários.

#28 – Los Angeles Chargers: Dalton Risner (OT – Kansas State)

Phillip Rivers continuará precisando ser protegido no estágio em que se encontra na carreira e tal proteção pode ser provida por Risner. Jogador versátil, pode atuar em várias posições dentro da linha ofensiva (se destacou como right tackle na sua passagem por Kansas State). Dalton Risner tem boa capacidade de trazer potência ao seus bloqueios, tanto no jogo corrido quanto no aéreo.

Resultado de imagem para kansas city chiefs

#29 – Kansas City Chiefs: Jonathan Abram (S – Mississippi State)

Os Chiefs sofreram com seu setor defensivo na última temporada e podem acabar tendo mais problemas para se preocupar. Melhor opção na posição de safety no Draft deste ano, Abram pode formar boa dupla e ser um elemento agregador com o reforço Tyrann Mathieu.

#30 – Green Bay Packers (via New Orleans Saints): A.J. Brown (WR – Mississippi)

Os Packers precisam utilizar o draft para fornecer mais armas a Aaron Rodgers. Mesmo sendo necessário dar alguma atenção à posição de tight end, vale destacar que Randall Cobb não integra mais o time do estado de Wisconsin. Isso demanda mais qualidade do grupo de recebedores e ter a chance de escolher A.J. Brown na parte final da 1ª rodada pode dar aos Packers a oportunidade de investir no substituto de Cobb.

Resultado de imagem para los angeles rams

#31 – Los Angeles Rams: Jeffery Simmons (DT – Mississippi State)

Se não fosse por uma ruptura de ligamento cruzado, Simmons certamente teria chances de figurar no top 10 deste Draft. Precisando prover um substituto para Ndamukong Suh, que não teve seu contrato renovado, os Rams gostariam muito de poder contar com um Jeffery Simmons na sua melhor forma; quem sabe, ele e Aaron Donald possam formar uma dupla invejável na linha defensiva do time de Los Angeles.

#32 – New England Patriots: Hakeem Butler (WR – Iowa State)

Rob Gronkowski chocou o mundo da NFL anunciando sua aposentadoria após nove temporadas na liga. Com sua partida, os Patriots não perdem apenas um TE – perdem um dos melhores alvos que Tom Brady poderia ter. Se Butler não for selecionado antes e chegar a esse ponto da 1ª rodada ainda disponível, o time de New England pode aproveitar a oportunidade de assegurar um jogador com boa altura, velocidade e impulsão – qualidades muito úteis dentro do esquema ofensivo dos atuais campeões.

LEIA MAIS

Mock Draft The Playoffs: Versão 1 | Versão 2| Versão 3 | Versão 4 | Versão 5

Oddsshark