24/01/2020 - 21h15

Ranking dos calouros da NBA 2019-2020 #3

Calouros entram em seu quarto mês na liga com pressão e responsabilidade crescentes sobre seus ombros

Miami Heat aproveita ausência de Trae Young e bate de novo o Atlanta HawksÀ medida que os meses estão passando na temporada da NBA, os calouros vão ganhando mais corpo e se tornando peças mais relevantes dentro dos elencos. Mas em alguns casos, o sinal amarelo acende mais forte e já é possível algumas dúvidas sobre as seleções do último Draft.

Com um cenário mais claro na temporada para a briga de cada time até março, o papel dos calouros também entra nessa roda. Por exemplo, nomes como Darius Garland, Eric Paschall, Coby White e P.J. Washington têm mais margem para erro do que Ja Morant e Kendrick Nunn, por exemplo.

Além disso, a proximidade do All-Star Game também traz a chegada do trade deadline, o que pode movimentar inclusive o espaço e o cenário desses calouros na liga. Assim, será possível já desenhar como está se desenhando as movimentações e pretensões das equipes, incluindo suas joias adquiridas nesses último Draft.

Falando em calouros, enfim Zion Williamson fez sua estreia na NBA! Mas, com apenas um jogo na carreira, ele ainda não entra nesse ranking.

Quer saber mais sobre essas certezas e dúvidas das equipes sobre suas jovens estrelas? Confira abaixo o top 10 dos calouros do primeiro mês da temporada 2019-2020 da NBA, mais um conteúdo exclusivo do The Playoffs, que acompanha o desempenho deles mensalmente.

1- Ja Morant, Memphis Grizzlies (Ranking anterior: 1)

SAN FRANCISCO, CALIFORNIA - DECEMBER 09: Ja Morant #12 of the Memphis Grizzlies looks on in the second half against the Golden State Warriors at Chase Center on December 09, 2019 in San Francisco, CaliforniaMorant é o típico caso de identificação instantânea de um atleta com uma franquia. O armador já é um Grizzlies, abraçado pela torcida e com liderança em quadra. Mesmo com a natural inconsistência de um calouro, o atleta tem comandado um time jovem a uma luta por playoffs na inglória Conferência Oeste.

Entre os calouros, as médias de 17,5 pontos e sete assistências são as mais próximas de um duplo-duplo nessa classe. Além disso, Morant consegue transmitir uma energia positiva em quadra, sendo ousado ofensivamente mesmo dentro do garrafão.

Nas mãos de Taylor Jenkins, os Grizzlies têm mostrado potencial para brigar para serem contenders em um futuro próximo. Com escolhas de Draft acumuladas (ainda com Andre Iguodala para ser trocado) e um salary cap mais folgado, Morant pode estar preparando o terreno para um real candidato a sucessor do trono do Golden State Warriors no Oeste.

2- Kendrick Nunn, Miami Heat (Ranking anterior: 2)

O que coloca Nunn tão alto nesse ranking é sua consistência. Em um contender como o Heat, o armador demonstra ser um titular polido para o nível de exigência da posição da equipe, tendo iniciado todas as 44 partidas de Miami na temporada.

Outra prova é que dos últimos 20 jogos do armador, em apenas dois o atleta não anotou ao menos dez pontos. Dentro dessa série está a excelente partida contra o San Antonio Spurs em janeiro, quando o atleta conseguiu anotar 33 pontos e foi fundamental para a vitória do Heat.

Além disso, Nunn ostenta consistentes 16,2 pontos, 35,6% nos chutes do perímetro e 46,1% nos arremessos de quadra. Todos números muito interessantes para um calouro da NBA.

3- R.J. Barrett, New York Knicks (Ranking anterior: 5)

NEW YORK, NEW YORK - OCTOBER 26: (NEW YORK DAILIES OUT) RJ Barrett #9 of the New York Knicks in action against Jayson Tatum #0 of the Boston Celtics at Madison Square Garden on October 26, 2019 in New York City. The Celtics defeated the Knicks 118-95Nada como um dia após o outro dia. A rotina dentro de uma franquia em reconstrução, ainda mais carregada de pressão e administração duvidosa como é o caso dos Knicks, acaba afetando muito um calouro. Mesmo os talentosos como R.J. Barrett.

Barrett ainda segue buscando seu melhor ritmo, mas em janeiro o armador conseguiu cinco jogos com mais de 16 pontos, incluindo uma partida de 24 pontos contra o Los Angeles Clippers.

Suas médias voltaram a ter um crescimento, com 14,1 pontos e 5,2 rebotes. Seu aproveitamento do perímetro é de 32,9%, tendo margem para melhora. Se os Knicks conseguirem no próximo ano uma boa escolha no Draft e principalmente organizarem seu front office, Barrett tem potencial de dar um bom salto de rendimento para seu segundo ano na liga.

4- Eric Paschall, Golden State Warriors (Ranking anterior: 3)

Dezembro não foi um bom mês para Paschall. Com menos minutos em quadra, o ala viu sua produção minguar e chegou a engatar uma série de quatro jogos com menos de oito pontos. O que é natural, em um elenco em esquema de ‘pré-vestibular’ nas mãos de Steve Kerr.

Mas janeiro trouxe maior estabilidade para o ala, que engatou uma série de sete jogos com pelo menos dez pontos, dentre eles duas partidas seguidas com mais de 20 pontos (Orlando Magic e Portland Trail Blazers).

A média de pontos de Pascall despencou quase dois pontos do último levantamento para cá, mas mesmo assim 14 pontos para um calouro ainda é interessante. Seu aproveitamento nos chutes de quadra de 49,4% também é notável, principalmente porque o ala também busca os chutes de média e longa distância.

5- Tyler Herro, Miami Heat (Ranking anterior: 4)

Um arremessador já passa por altos e baixos dentro da carreira. Um calouro ‘gatilho’ tem ainda mais dificuldades de buscar sua consistência no início de sua jornada dentro da NBA.

Herro continua inconstante em suas partidas, com atuações como a da última quinta-feira (23), contra o Washington Wizards, quando anotou 25 pontos. Mas também tem apresentado como em cinco dos seus últimos 11 jogos, quando anotou menos de nove pontos em quadra.

O armador ainda assim ostenta médias de 13,2 pontos e excelentes 40,3% nas bolas de três. Vindo do banco, Herro tem tudo para ser um candidato a prêmio de sexto homem dentro da NBA. O potencial está ali, falta maior regularidade para alcançar esse voo.

6- P.J. Washington, Charlotte Hornets (Ranking anterior: 8)

Os Hornets seguem ‘patinando’ na temporada, mas Washington segue sendo um dos pontos de equilíbrio dentro da equipe. Nas duas pontas da quadra, o ala tem se mostrado polido e sua capacidade de espaçar a quadra nos arremessos é um diferencial para a posição.

Além disso, as médias de Washington cresceram, com o atleta registrando 12,6 pontos, 5,5 rebotes e excelentes 42,1% nos arremessos de três e 48,3% nos chutes de quadra.

A reconstrução pode ser mais rápida em Charlotte, caso a situação da equipe siga em queda livre na Conferência Leste. Washington é uma certeza para o futuro e com uma boa escolha em Draft, finalmente será possível ver os Hornets traçando voos mais altos.

7- Darius Garland, Cleveland Cavaliers (Ranking anterior: não listado)

O estreante do levantamento tem começado a mostrar por que de ter sido uma escolha de top 5 do Draft. Garland demorou a se encontrar na rotação de John Beilein e ainda está buscando maior encaixe com Collin Sexton na armação dos Cavaliers.

Mas já são 14 jogos seguidos com mais de dez pontos para o armador, com pelo menos uma bola de três convertida nesse período. Desse modo, as médias de Garland cresceram, se estabelecendo em 12,3 pontos e 35,4% nos chutes do perímetro.

O encaixe com Sexton ainda é complicado, muito pela característica semelhante dos dois atletas. Mas, Garland pode evoluir e se tornar o armador principal, deixando Sexton na função de armador-arremessador. Conseguir utilizar bem esses dois prospectos pode ser fundamental para Beilein convencer a diretoria a se manter no cargo.

8- Brandon Clarke, Memphis Grizzlies (Ranking anterior: 6)

A evolução de um atleta na NBA nem sempre é constante. Clarke tem passado por um desses momentos de turbulência, amplificados dentro de um time jovem e um técnico também em suas primeiras experiências.

Clarke é reserva dentro da rotação com Jaren Jackson Jr. e Jonas Valanciunas como titulares do garrafão e tem demonstrado maior dificuldade em manter sua produção na cada dos dez pontos nessas últimas semanas.

Dos seus dez jogos em janeiro, apenas quatro terminaram com o ala tendo dois dígitos de pontuação. Mas suas médias de 12 pontos e 5,8 rebotes ainda são notáveis para um ‘bancário’ e mostram que Clarke foi um dos principais ‘roubos’ da última classe do Draft,

9- De’Andre Hunter, Atlanta Hawks (Ranking anterior: 9)

Os Hawks talvez sejam a grande decepção da temporada. Mesmo com Trae Young sendo eleito para seu primeiro All-Star Game, a equipe involuiu em diversos sentidos. Mesmo ainda sendo uma pedra bruta, Hunter precisa adquirir maiores responsabilidades dentro do elenco.

Ainda inconstante, ele tem falhado em engatar jogos seguidos com mais de dez pontos. Desde 21 de dezembro, em apenas duas oportunidades o ala conseguiu o feito. Nesta semana, o atleta registrou o feito com 19 pontos contra o Detroit Pistons e 13 contra o Toronto Raptors.

Hunter segue com bons números nos chutes do perímetro com 33,2% de aproveitamento, o que tem feito o técnico Lloyd Pierce colocar o ala por 31 minutos de média em quadra.

10- Coby White, Chicago Bulls (Ranking anterior: 10)

White se manteve no ranking graças à lesão de Rui Hachimura. O desempenho do armador do Chicago Bulls segue a oscilar. Mas como já dito nas listas anteriores, o ambiente da franquia não tem auxiliado em nada o desenvolvimento do jovem atleta.

O armador continua com flashes de sua capacidade de pontuador. Desde 21 de dezembro, foram quatro jogos com mais de 18 pontos, incluindo a partida de 23 contra o Indiana Pacers em janeiro. Nesse jogo, White finalizou o duelo com 5-9 nos arremessos de três e 8-17 nos chutes de quadra.

Alias, os arremessos de três do armador tiveram leve aumento em comparação dos últimos levantamentos, passando de 32,1% para 34,2%. White tem todas as características para ser um bom complemento no ataque dos Bulls, mas sem a assistência certa, a inconstância será contínua para o armador.

LEIA MAIS: Ranking os calouros mês 1 | mês 2

Menções honrosas

NEW ORLEANS, LOUISIANA - JANUARY 22: Zion Williamson #1 of the New Orleans Pelicans looks on during the game against the San Antonio Spurs at Smoothie King Center on January 22, 2020 in New Orleans, LouisianaDevido a uma lesão na virilha, Rui Hachimura não atua desde o dia 12 de dezembro. Por isso, na edição deste mês ele fica fora do ranking, em estado de espera. A previsão é que o ala possa voltar ainda este mês para os jogos do Washington Wizards e com isso deve voltar a figurar entre os dez primeiros do ranking.

Além de Hachimura, Zion Williamson já estreou com um belo cartão de visitas e mostrou que muito em breve vai se juntar ao grupo de melhores calouros da temporada.

Outros nomes estão em crescente e já ‘batendo na porta’ do top 10. São os casos de Jarrett Culver (Minnesota Timberwolves), Jaxson Hayes (New Orleans Pelicans), Cam Reddish (Atlanta Hawks) e Sekou Doumbouya (Detroit Pistons). Olho nesses garotos!

Fotos: Chris Graythen/Getty Images e Jim McIsaac/Getty Images

Oddsshark