01/07/2016 - 02h28

As três melhores equipes no Draft 2016 da NBA

É hora de saber quem mandou bem escolhendo os atletas na última seleção da liga profissional de basquete

draft

O draft da NBA aconteceu a pouco mais de uma semana e o The Playoffs me incumbiu de selecionar as três equipes que mandaram bem e outras três que foram mal demais no Barclays Center, em Brooklyn. Numa seleção com algumas surpresas, o australiano Ben Simmons foi selecionado na primeira posição pelo 76ers, num draft recordista em número de estrangeiros escolhidos.

Sem mais delongas, começaremos analisando as que foram melhores em suas escolhas. No próximo post, falaremos sobre quem se enrolou na hora de montar seu roster.

PHILADELPHIA 76ERS

Escolhas: Ben Simmons (SF/PF), Timothe Luwawu (SG/SF) e Furkan Korkmaz (SG)

76ersParece fácil apontar que o time que tem a primeira escolha e selecionou o atleta que todos queriam foi bem. Mas é preciso exaltar que, enfim, os 76ers fizeram um bom draft. Para começar, a tara pelos pivôs foi colocada de lado e o GM focou no que tinha de melhor no momento para atacar as diversas deficiências do roster.

A chegada de Ben Simmons pode dar aos torcedores o tão sonhado franchise player. O australiano de 19 anos não foi um primor em sua única temporada no College, mas é preciso observar que LSU como um todo não fez um bom trabalho. Por motivos familiares o atleta foi defender a camisa dos Tigers, recusando ofertas de Duke, Kansas e Kentucky. O quão melhor preparado Ben chegaria a NBA se optasse por passar pelas mãos de Coach K ou John Calipari? A passagem pela Louisiana fez com que o jogador ficasse fora do March Madness, onde as franquias teriam um ótimo termômetro sobre as reais capacidades de Simmons sob pressão.

Fora isso, Ben tem tudo para evoluir, então, direto no palco principal. Chega num time esfacelado por opções que visavam ficar sempre na parte de cima do draft. Em 33 jogos na universidade, obteve ótimas médias de 19.2 pontos, 11.8 rebotes e 4.8 assistências. Precisa melhorar os arremessos de longa e média distância e tem do alto de seus 2.08 metros bastante habilidade.

Quanto às outras escolhas, Timothe Luwawu chega com muito potencial a liga. Os longos braços e a mão enorme dão bastante capacidade ao prospecto. Tem bom aproveitamento nas bolas de três, algo que anda ainda mais fundamental na NBA. Quanto a Furkan Korkmaz, é um ótimo nome para a posição 2. Ótimo na longa distância, quando chegar à liga, pode desafogar a situação para Simmons. Deve ficar mais um ano em solo europeu, antes de aterrissar nas Américas.


LOS ANGELES LAKERS

Escolhas: Brandon Ingram (SF) e Ivica Zubac (C)

IngramNão tinha muito erro aqui. Kobe Bryant bem que tentou emplacar Buddy Hield no Staples Center, mas Mitch Kupchak deu um tiro certeiro. Se Simmons não estava mais disponível, era a hora de jogar na segurança e contratar quem pode fazer a diferença rápido para o time.

A escolha por Brandon Ingram deixa o time de Los Angeles com quatro ótimos jogadores e um futuro promissor pela frente. Clarkson, Russell e Randle já estão com o time por pelo menos uma temporada e o talento que Ingram acrescenta a esse pelotão é imenso. O atleta moldado por Coach K em Duke teve médias de 17.3 pontos, 6.8 rebotes e 2 assistências por jogo na NCAA. As comparações com Kevin Durant são inevitáveis ao ver o atleta pela quadra. Tem extrema facilidade em pontuar e sua ótima envergadura pode ajudar tanto ofensivamente, quanto na defesa na hora de recuperar alguns rebotes. Como nem tudo são flores é notório que o atleta precisa ganhar um pouco de músculos para aguentar os trancos que a NBA propõe.

Ao selecionar Ivica Zubac na segunda rodada, os Lakers mostram uma clara deficiência do plantel. Para quem tem como opção Robert Sacre no garrafão, o bósnio chega do alto dos seus 2.16 metros para acrescentar mais qualidade a zona mais problemática do time. Será importante ganhando alguns minutos em que o small ball não funcionar. É importantíssimo frisar que tudo isso pode mudar, dependendo do esquema utilizado pelo novo treinador Luke Walton.


LOS ANGELES CLIPPERS

Escolhas: Brice Johnson (PF), David Michineau (PG) e Diamond Stone (C)

Brice JohnsonAs coisas andaram boas pelos lados de Los Angeles. Os Clippers acertaram em cheio ao escolher o ótimo Brice Johnson que chega com respeitáveis médias de 11.6 pontos e 7 rebotes nos 4 anos na faculdade. Em sua última temporada, as coisas melhoraram para ex-jogador de North Carolina, quando passou a ter 17 pontos e 10 rebotes regularmente.

Johnson chega pronto a NBA. Completamente adaptado ao jogo, terá impacto imediato na rotação de Doc Rivers. Tendo no backcourt Chris Paul, a situação tende a ficar ainda mais mágica, potencializando as habilidades de Brice.

A escolha por David Michineau é uma boa aposta da equipe. Alto para um armador, tem muita força e velocidade no jogo de transição, algo recorrente ultimamente. Marca com qualidade. Precisa ficar atento apenas a decisões quando tem a bola. Seu arremesso ainda não é dos melhores, mas foi pego na segunda rodada de maneira correta. Já Diamond Stone chegou a ser cotado para sair na abertura, mas acabou caindo e ficou de presente para os Clippers que não desperdiçaram tal chance. Tem todas as ferramentas para se tornar um ótimo reboteiro e defensor na NBA.

https://www.youtube.com/watch?v=cWLgOZaAWXg


Foto 1: NBA / Instagram

Foto 2: 76ers / Instagram
Foto 3: Lakers / Instagram
Foto 4: Clippers / Instagram

Oddsshark