31/08/2015 - 20h05

Com temporada monstruosa, Bryce Harper lidera ranking de WAR na MLB

Outfielder vale 8 vitórias a mais do que um substituto regular segundo métrica adorada pelos managers

(Foto: Reprodução Twitter)

Bryce Harper (Foto: Reprodução Twitter)

No novo modelo estatístico que transformou a MLB desde o começo da década passada, imortalizado pelo livro que virou filme Moneyball, um dos principais dados é o WAR (Wins Above Replacement), que aponta quantas vitórias cada atleta agregou à sua equipe quando comparado com um reserva comum, aquele jogador contratado pelo piso salarial, o popular “replacement”. Será, no entanto, que home runs, RBIs, bases roubadas, percentual de rebatidas e de chegada em base transformam-se automaticamente em um alto WAR?

Faltando cerca de 20% da temporada, a lista de atletas com maior WAR deve mudar pouco até a chegada dos playoffs. Para os rebatedores, vamos usar o modelo da Baseball-Reference (bWAR), enquanto os arremessadores serão avaliados com base no modelo do FanGraphs (fWAR), que utiliza o Fielding Independent Pitching, que evita prejuízos de atuações defensivas ruins das equipes para os pitchers.

REBATEDORES

Josh Donaldson faz grande temporada pelos Blue Jays

Josh Donaldson faz grande temporada pelos Blue Jays

Até esta segunda-feira (31/8), a liderança entre os rebatedores pertencia aos favoritos para o prêmio de MVP. Bryce Harper, do Washington Nationals (8.0 de War), Paul Goldschmidt (7.6), ambos da Liga Nacional, são os ponteiros, seguidos por dois representantes da Liga Americana, Josh Donaldson, do Toronto Blue Jays, e Mike Trout, do Los Angeles Angels (ambos com 7.3).

Entre os 10 primeiros, existem duas surpresas, nomes que passam longe da liderança da liga na parte ofensiva: Kevin Kiermaier, do Tampa Bay Rays (7º, com 6.1 de War) e Brandon Crawford, do San Francisco Giants (10º, com 5.7). A presença de ambos à frente de nomes de peso como Buster Posey (13º), Nelson Cruz (14º) e Andrew McCutchen (19º) se explica pela atuação defensiva.

Kiermaier é o lider em WAR defensivo, com 4.1 vitórias acima do replacement apenas pela defesa, enquanto Crawford é o 2º, com 2.8 (para quem se pergunta, Andrelton Simmons, shortstop do Atlanta Braves e especialista defensivo, é o 3º, com 2.6). Levando em conta apenas os números no bastão, Cruz é o grande prejudicado: atuando quase exclusivamente como rebatedor designado do Seattle Mariners, ele é o 4º melhor em WAR ofensivo (6.2), mas cai bastante pelo WAR defensivo de – 1,7. O s três primeiros neste ranking são Harper (6.8), Trout (6.7) e Donaldson (6.4), com Goldschmidt na 5ª posição.

Entre os calouros, o maior WAR global é de Matt Duffy, dos Giants (4.3), com Jung Ho Kang, do Pittsburgh Pirates (3.9) e Kris Bryant, do Chicago Cubs (3.8) logo atrás. Mesmo atuando em apenas 68 e 66 jogos, Carlos Correa e Francisco Lindor, de Houston Astros e Cleveland Indians, chamam a atenção com WAR de 3.0 e 2.7, respectivamente, comprovando porque seus nomes são citados na discussão sobre o Rookie of The Year. Se tivessem os mesmos 116 jogos de Duffy, a projeção é de que o WAR de Correa ficasse em 5.1 e o de Lindor chegasse a  4.7.

NO MONTINHO

Clayton Kershaw vai se recuperando de início ruim na temporada (Foto: USA Today)

Clayton Kershaw vai se recuperando de início ruim na temporada (Foto: USA Today)

A discussão entre os arremessadores é mais interessante, pois apesar de Zack Greinke liderar a bolsa de favoritos ao Cy Young da Liga Nacional com um ERA absurdo de 1.61, o primeiro no fWAR é seu colega de Los Angeles Dodgers Clayton Kershaw, com 6.6, contra 5.1 de Greinke, apenas o 6º colocado. A explicação está no FIP: excluindo a defesa, Kershaw deveria ter um ERA de 2.10, contra 2.62 do companheiro de rotação.

Entre os dois monstros do montinho, aparecem Chris Sale, do Chicago White Sox (2º com WAR de 5.8), Dallas Keuchel, dos Astros (5.4), Jake Arrieta, do Chicago Cubs (5.4, confirmando o ótimo ano do líder de vitórias na NL, que conseguiu no-hitter no final de semana) e Corey Kluber, dos Indians, que tem 5.1 de WAR e é tratado como zebra na luta pelo Cy Young da AL.

O modelo parece tratar de uma forma inesperadamente dura os arremessadores calouros. Os líderes entre os rookies são Chris Heston, dos Giants, e Nate Karns, dos Rays, ambos com 1.5 de WAR, suficiente para garantir um posto em torno da 60ª colocação. Se somar ao menos 162 entradas arremessadas até o fim da temporada (está com 122 e 1/3), o badalado Noah Syndergaard, do New York Mets, atualmente com 2.4 de WAR, assume a liderança e ganha mais força na discussão para o prêmio de Rookie of The Year na NL.

* OBS: Todos os dados aqui apresentados são consolidados até 31 de agosto de 2015.

Oddsshark