06/01/2019 - 11h04

Williamson doutrina e Duke atropela Clemson na segunda etapa

Zion brilha com enterrada mágica e Duke triunfa; Kansas e Nevada sofrem zebras

Com show de Williamson, Duke bate Clemson em casa

Quando Zion Williamson não tem espaço, ele dá um jeito de pontuar. Agora, quando o camisa 01 rouba uma bola no meio da quadra e parte com a defesa vazia, o inesperado acontece. Com uma enterrada 360º imoral, Zion liderou #1 Duke em mais uma prova de força da líder do ranking AP: vitória em casa por 87 a 68 contra Clemson neste sábado (05).

Williamson deixou a quadra com um duplo-duplo. Em 22 minutos, conseguiu 25 pontos e 10 rebotes. RJ Barrett conseguiu 13 pontos e nove rebotes, enquanto o armador Tre Jones anotou 10 pontos e ainda distribuiu nove rebotes, conduzindo a equipe no ataque. Do banco, Jack White contribuiu com 12 pontos em quatro bolas de três.

“Eu pensei: ‘Sabe o que? Estou bem aberto. Por que não?” , disse Williamson. “Eu fiz isso, fiquei alto o suficiente e foi quase como um bandeja.” Seu treinador, Coach K, também comentou sobre o lindo lance: “Não há limite para quantas vezes ele pode girar”, brincou. Porém, deixou um recado claro “enquanto ele colocar a maldita coisa dentro”.

Williamson fazendo o ginásio de Duke vir abaixo:

Depois de passar por uma pausa de 16 dias, Duke começou devagar. Clemson, com muita coragem, não se intimidou com o ginásio lotado por torcedores dos Blue Devils. Atuando com segurança, equilibrou as forças. Chegou a liderar quando Clyde Trapp colocou uma bola de três no alvo. Só que Williamson e White não deixavam com que os Tigers ficassem muito tempo à frente. O primeiro tempo terminou com vantagem para os donos da casa por 40 a 33.

No começo da segunda etapa, os calouros dos Blue Devils parecem ter recuperado a forma. Nos primeiros quatro minutos, com uma defesa intransponível, Duke não sofreu pontos e ainda marcou 14 seguidos. O suficiente para explodir o placar que foi para 54 a 33. Com tanta vantagem, é praticamente impossível reverter o efeito bola de neve dos anfitriões.

Até que aos 12 minutos veio o lance da partida. Shelton Mitchell saiu jogando por Clemson. Pressionado por Tre Jones, não observou que Zion estava por perto. Num giro, viu o ala-pivô de Duke dar um tapinha e roubar a bola. Williamson partiu para cesta e com dois passos subiu e girou completamente no ar antes de cravar. O lance fez a Court K Court gritar em uníssono o nome do jogador.

Outro ângulo do lance que levantou o ginásio:

Após o lance, que desestabilizou a moral dos Tigers, Duke só precisou conduzir o confronto até o final. Sem sofrer sustos, o time de Coach K conseguiu sua 12º vitória na temporada, a primeira em um duelo de conferência e venceu por 87 a 68. Duke deixou a quadra com 13 roubos de bola, mostrando o poder de forçar turnovers dos adversários.

Quem mereceu comentários de Mike Krzyzewski foi Cam Reddish. O atleta, cotado como um dos melhores calouros do país, ainda não conseguiu decolar e mostrar todo seu potencial pelos Blue Devils.  “Acho que ele só precisa ser mais forte com a bola”, disse Krzyzewski. “Isso é um ajuste para todos os novatos no campeonato. Hoje, estamos jogando contra os homens. Ele vai ficar bem, e temos confiança nele, mas ele não jogou bem esta noite.” Dos 12 turnovers que Duke cometeu, seis vieram do calouro.

Na próxima rodada, Duke visita Wake Forest na próxima terça-feira, dia 08/01. Já Clemson tem compromisso marcado para a quarta-feira, dia 09, contra Syracuse, também fora de casa.

Tennessee e Virginia confirmam favoritismo. Kansas e Nevada são surpreendidas

Tennessee atropela Georgia

Outras equipes da ponta do ranking também jogaram neste sábado. Jogando em casa, #3 Tennessee não tomou o menor conhecimento de Georgia. Com boa atuação de Grant Williams, os Volunteers bateram os Bulldogs por 96 a 50. Foram 18 pontos, 08 rebotes e 05 assistências para o ala-pivô.

Já #4 Virginia teve um pouco mais de dificuldades encarando #9 Florida State. Apesar de ser anfitriã, depois de fazer um ótimo primeiro tempo em que abriu 19 pontos de vantagem, os Cavaliers cochilaram na segunda etapa. Tudo bem que não foi o suficiente, mas o triunfo por 65 a 52 acabou sendo um pouco mais apertado do que se desenhou. Destaque para Kyle Guy. O armador dos donos da casa terminou o duelo com 21 pontos.

Iowa State bate Kansas Partindo para as surpresas do dia, #5 Kansas jogou longe de seus domínios, porém era muito favorita contra Iowa State. Só não contavam com um jogo abençoado de Marial Shayok. O armador anotou 24 pontos e liderou os Cyclones em uma surpreendente vitória por 77 a 60.

“Eles são o padrão em nossa liga e a equipe que todos estamos tentando pegar”, disse o técnico de Iowa State, Steve Prohm. “É uma grande vitória. Adorei o modo como eles competiram”. Já Bill Self lembrou do péssimo dia dos Jayhawks, entretanto, também enalteceu o rival: “Fomos terríveis. Mas eles eram bons”, comentou. “Eles nos maltrataram.”

Fechando a parte das decepções, Nevada perdeu a invencibilidade. Depois de 14 vitórias em sequência, a equipe sucumbiu diante da valente New Mexico. Com duplo-duplo de Vance Jackson, que conseguiu 18 pontos e 10 rebotes, os Lobos fizeram o fator casa prevalecer no triunfo por 85 a 58.

“Não é sobre contra quem estamos jogando. Não é sobre nada, é apenas sobre nós executando e competindo. E isso é tudo sobre o que falamos por dois dias”, comentou o treinador de NMU, Paul Weir. Por outro lado, Eric Musselman, comandante dos Wolf Pack, reclamou da falta ambição de seu time: “Nós não jogamos duro esta noite. Nós nos dividimos e nos separamos. Temos que nos reagrupar e tentar jogar melhor no próximo jogo”.

Oddsshark