19/03/2019 - 13h25

March Madness 2019: as loucuras de março estão de volta

Começa a corrida pelo título de melhor equipe universitária do país. Todos de olho em Zion Williamson

Com mais uma grande atuação de Williamson, Duke vai para a decisão da ACC

Depois do longo inverno, a loucura voltou. O March Madness está de volta e preenche com alegria os corações dos fãs de College Basketball. Se no ano passado, Villanova não tomou o menor conhecimento e faturou o título com autoridade, 2019 traz um pouco mais de equilíbrio. As apostas estão mais abertas, mas é impossível não apontar nomes como Duke, Gonzaga, North Carolina, Virginia, Michigan, Tennessee e Kentucky como favoritas.

Os olhos do mundo também estarão voltados para Zion Williamson. Um calouro não recebe tanto hype pré-draft da NBA desde Anthony Davis. E não é a toa. O camisa 01 de Duke tem potencial para ser um dos melhores jogadores do mundo em pouco tempo. Seu impacto na liga profissional pode ser imediato em basicamente todos os times. Após uma lesão, o jogador está pronto para liderar os Blue Devils rumo ao sonhado título.

O campeonato começa nesta terça-feira (19/03) com o First Four. 68 equipes se classificam para a competição, mas oito times passam por uma primeira qualificatória. O First Round inicia na quinta-feira (20/03) com os favoritos entrando em cena nesta fase.

O The Playoffs separou um pequeno preview por regiões sobre o que esperar do March Madness. Além disso, falaremos sobre alguns jogadores para se ficar de olho durante o torneio. Por fim, daremos nossa opinião sobre qual será o Final Four e quem será campeão. Afinal, do que vale uma prévia sem uma boa aposta sobre título, não é?

MARCH MADNESS PREVIEW

REGIÃO LESTE

Será difícil tirar o posto no Final Four de #1 Duke. O time está em grande forma, tendo recentemente batido uma outra favorita ao título do MM, North Carolina, em partida memorável do jogador do ano, Zion Williamson. A equipe conta além do camisa 01, com RJ Barrett, apontado por muitos como possível número dois do próximo draft da NBA. A dupla lidera os Blue Devils que possui um assustador ataque. Um outro atleta que merce menção é Tre Jones. Outro novato, este que chegou sem muito alarde, se torna muito importante na distribuição do jogo do time de Coach K.

Quem ameaça o posto de Duke é #2 Michigan State. A equipe teve apenas seis derrotas na temporada e por isso foi classificada como a número dois da região. O armador Cassius Winston que está no terceiro ano no College lidera os Spartans em diversos aspectos. Com médias de 18.9 pontos e 7.6 assistências por jogo, é alguém que pode decidir com pouco espaço. Olho em #4 Virginia Tech, que durante a temporada regular bateu Duke num jogo surpreendente e tenta repetir o feito para chegar a um surpreendente Final Four.

(1) Duke vs. (16) NC Central/North Dakota State
(8) VCU vs. (9) UCF
(5) Mississippi State vs. (12) Liberty
(4) Virginia Tech vs. (13) Saint Louis
(6) Maryland vs. (11) Belmont/Temple
(3) LSU vs. (14) Yale
(7) Louisville vs. (10) Minnesota
(2) Michigan State vs. (15) Bradley

REGIÃO OESTE

Apesar de muitas pessoas torceram o nariz para esta região, bons times estão no Oeste. Para começar um dos favoritos ao título, número um Gonzaga chega com alto status ao torneio. Bateu Duke no Maui Jim Maui Invitational com Rui Hachimura conseguindo segurar Zion Williamson. O japonês é o grande nome do time, mas é impossível não falar de Brandon Clarke. Vindo de San Jose State e em seu primeiro ano com o time, o jogador é muito subestimado para o ótimo trabalho que faz protegendo o garrafão.

Um time que pode se colocar no caminho dos Zags rumo ao Final Four é #8 Syracuse. A equipe também venceu Duke na temporada e também com a presença de Zion em quadra. Outros dois times merecem a mesma atenção: Michigan, que esteve na última decisão do March Madness e #3 Texas Tech, que aposta no ótimo Jarrett Culver.

Porém é inegável que um atleta estará com o foco nesta região: Ja Morant de #12 Murray State. O armador é muito cotado para ser o número dois ou três do próximo draft da NBA e quer contar uma história de Cinderela para os Racers. É nele que a equipe confia na hora de pontuar. Não a toa tem 24.6 pontos de média. Somado a isso uma visão de jogo incrível, acrescentando 10 assistências por partida. Olho nele.

(1) Gonzaga vs. (16) Fairleigh Dickinson/Prairie View A&M
(8) Syracuse vs. (9) Baylor
(5) Marquette vs. (12) Murray State
(4) Florida State vs. (13) Vermont
(6) Buffalo vs. (11) Arizona State/St John’s
(3) Texas Tech vs. (14) Northern Kentucky
(7) Nevada vs. (10) Florida
(2) Michigan vs. (15) Montana

REGIÃO SUL

#1 Virginia prefere não lembrar do último March Madness. Pela primeira vez na história um seed 01 foi eliminado por um 16. Como esquecer a derrota dos Cavaliers para UMBC? Bom, passado é passado e o time chega mais uma vez como uma força no torneio. O backcourt formado por Ty Jerome e Kyle Guy é um terror para qualquer adversário. De’Andre Hunter voltou para mais um ano na equipe e segue sendo a estrela do ataque deste time. Virginia segue sendo um dos times de melhor defesa do basquete universitário.

Na região é preciso sempre lembrar da força de #6 Villanova. Mesmo perdendo grande parte do estelar elenco que venceu por duas vezes, o time conta com nomes como Phil Booth, que está em seu quarto ano pelos Wildcats e Eric Paschall, também senior. Não se pode descartar uma equipe comandada por Jay Wright, especialista em levantar canecos no basquete universitário.

Não perca de vista #2 Tennessee. A equipe conseguiu uma surpreendente vitória sobre Kentucky nas semifinais da SEC, mas acabou sendo derrotada por Auburn na decisão de forma tranquila. Mesmo assim, é inegável o poder de Grant Williams e o como ele lidera os Volunteers nos momentos de tensão.

(1) Virginia vs. (16) Gardner-Webb
(8) Ole Miss vs. (9) Oklahoma
(5) Wisconsin vs. (12) Oregon
(4) Kansas State vs. (13) UC Irvine
(6) Villanova vs. (11) Saint Mary’s
(3) Purdue vs. (14) Old Dominion
(7) Cincinnati vs. (10) Iowa
(2) Tennessee vs. (15) Colgate

REGIÃO MEIO-OESTE

No Meio-Oeste tudo indefinido. A número 01 North Carolina chega como uma grande força, mas podemos ter algumas surpresas por lá. Os Tar Heels foram capazes de bater Duke por duas vezes, porém em ambas, Williamson estava fora. E quando foi confrontado por outras equipes bem ranqueadas, o resultado não foi satisfatório: derrotas para Virginia, Kentucky e Michigan por exemplo. Na semifinal da ACC foi possível ver o poder destrutivo que Cameron Johnson traz a NC. Além dele, o calouro Coby White conseguiu se provar um ótimo armador. E é claro, Luke Maye segue como bola de segurança em momentos complicados, tendo feito uma boa temporada regular.

Não tire os olhos de #5 Auburn. Os Tigers faturaram o torneio da SEC e chegam com bons créditos e possibilidade real de fazer uma ótima campanha. O ataque do time costuma ser explosivo, como foi possível ser visto na decisão da conferência em que atropelaram Tennessee. Bryce Brown e Jared Harper dão profundidade na linha de armadores com Chuma Okeke fazendo o papel sujo lá na defesa.

#2 Kentucky também está na região e é impossível descartar qualquer equipe comandada por John Calipari. PJ Washington tem sido o maior nome dos Wildcats na temporada, dominando as estatísticas do time em pontos e rebotes (14.8 ppj e 7.5 rpj). #4 Kansas, que começou a temporada como a líder do ranking da AP decepcionou em alguns jogos, muito graças a lesões, não chega com ares de grande favorita, mas não se pode deixar de crer. Houston tem feito uma campanha que não acontecia desde os anos 80.

(1) North Carolina vs. (16) Iona
(8) Utah State vs. (9) Washington
(5) Auburn vs. (12) New Mexico State
(4) Kansas vs. (13) Northeastern
(6) Iowa State vs. (11) Ohio State
(3) Houston vs. (14) Georgia State
(7) Wofford vs. (10) Seton Hall
(2) Kentucky vs. (15) Abilene Christian

JOGADORES PARA FICAR DE OLHO

Zion Williamson (Duke, ala-pivô, Freshman)

Jogador do ano para muitos, melhor calouro desde Anthony Davis no draft, futura estrela na NBA. Showman. Existem muitos adjetivos para qualificar Zion, que é franco favorito ao posto de número um da próxima seleção do basquete profissional. Força, habilidade e liderança são outras qualidades que o camisa 01 dos Blue Devils carrega. Espere muita enterradas e dominância no garrafão. Após a lesão que gerou uma polêmica sobre um possível abandono do College, Williamson chega sedento pelo título para ir a NBA como um verdadeiro campeão.

Médias: 22.1 pontos, 8.9 rebotes e 2.1 assistências

Ja Morant (Murray State, armador, Sophmore)

Outro showman. Morant escalou no draft graças ao seu poder de controlar o jogo. Pontuador nato, consegue assumir o protagonismo quando é necessário. E ainda é capaz de fazer o trabalho sujo se preciso, já que no alto, conseguiu boa média de rebotes. Em alguns jogos, como contra SIU-Edwadsville foi capaz de anotar quase metade dos pontos dos Racers: 40 em 82 possíveis. Chega ao March Madness com uma equipe que pouco se provou contra grandes adversários. Quando encarou o bom time de Auburn, deixou 25 pontos na caixa. Olho no possível posto dois do draft.

Médias: 24.6 pontos, 10 assistências e 5.5 rebotes

Rui Hachimura (Gonzaga, ala-pivô, Junior)

O japonês é o grande nome de uma das favoritas ao título do March Madness. Nascido em Toyama, está em seu terceiro ano no College Basketball. É muito forte e capaz de bater de frente com os jogadores que encontrará no garrafão. Pode anotar pontos tanto pelo garrafão, quanto fora dele. Obteve médias de 46.9% nas bolas longas. Faz ótima dupla com Brandon Clarke e tem tudo para ser um dos melhores do torneio.

Médias: 20.1 pontos, 6.6 rebotes e 1.6 assistências

PALPITES MARCH MADNESS

É um torneio que está em aberto. Muitas equipes são capazes de chegar ao título e o Final Four promete ser um dos mais disputados de todos os tempos. Todos estão de olho em Zion, mas alguns jogadores são capazes de dominar jogos e surpreender. Os seeds 1 são favoritos, obviamente, mas algumas equipes como Kentucky e Michigan podem ir longe.

Palpite Final Four: Duke, North Carolina, Michigan e Tennessee
Campeã do March Madness: Duke

Foto: Twitter / Duke

Oddsshark