16/05/2018 - 00h01

Celtics vencem mais uma e abrem 2-0 contra os Cavaliers na final do Leste

Time de Boston dispara no segundo tempo e garante boa vantagem na série

BOSTON, MA - MAY 15: Terry Rozier #12 of the Boston Celtics dunks against the Cleveland Cavaliers during Game Two of the Eastern Conference Finals of the 2018 NBA Playoffs on May 15, 2018 at the TD Garden in Boston, MassachusettsMais uma vez mostrando defesa forte e excelente jogo coletivo, o Boston Celtics superou em casa o Cleveland Cavaliers de LeBron James e venceu o jogo 2 da série por 107 a 94, nesta terça-feira (15), pela final da Conferência Leste da NBA. Boston lidera a decisão por 2-0.

Com ótima vantagem na bagagem, os Celtics viajam para Cleveland para dois jogos fora de casa em busca de uma varrida ou pelo menos uma vitória para encaminhar bem a classificação. Já os Cavs, sob pressão, precisam do triunfo de qualquer jeito no jogo 3, que acontece no sábado (19).

LeBron James veio inspirado para a partida e anotou 21 pontos só no primeiro quarto. Mesmo com mais 21 no decorrer do jogo (42 no total) e triple-double (10 rebotes e 12 assistências), o camisa 23 sentiu falta novamente de um time mais organizado e competitivo ao seu redor. Os Cavs ainda tiveram um bom Kevin Love com 22 pontos e 15 rebotes e 11 pontos de Kyle Korver, os únicos com mais de dois dígitos de pontuação. Assusta ver que Jeff Green e J.R. Smith somaram 54 minutos em quadra e seis pontos combinados apenas (todos marcados por Green).

Do lado dos Celtics, difícil definir um só destaque, então vamos mencionar os três principais. Jaylen Brown foi o cestinha da equipe com 23 pontos, 14 só no primeiro período. Terry Rozier, ofuscado antes do intervalo, fechou o jogo 18 pontos, incluindo lances como este abaixo, de extremo talento e atleticismo. Al Horford foi dominante especialmente no quarto período, fechando com 15 pontos, 10 rebotes, 2 tocos e 2 roubadas de bola, sempre um monstro defensivamente.

Mostrando o desequilíbrio dos conjuntos, os Celtics tiveram seis atletas com dois dígitos de pontuação, o dobro dos Cavs: Marcus Morris com 12 e Jayson Tatum e Marcus Smart com 11 cada, estes três com alguns momentos de brilho, mas fundamentais defensivamente. Smart fechou o jogo com quatro bolas roubadas e nove assistências.

Na batalha dos turnovers, os Cavaliers “venceram” por 15 a 6, sendo que os verdes anotaram 13 pontos a partir de erros do rival.

Os Celtics ainda não perderam nos playoffs de 2018 jogando em Boston, após oito partidas. Na história, a franquia nunca perdeu uma série em que abriu 2-0 de vantagem.

O JOGO

O embate no TD Garden começou com LeBron James disposto a mostrar tudo que sabe mais uma vez, depois de marcar apenas 15 pontos no jogo 1. Como já mencionado, foram 21 pontos no quarto inicial do jogo 2, com lances de infiltração, chutes de médias distância, bolas de três. Cardápio completo que nem a incrível defesa dos Celtics podia deter.

Porém, se de um lado um astro fazia a diferença, do outro o jovem Jaylen Brown, com 14 pontos, também fazia bonito e liderava as ações ofensivas de Boston, para não deixar o placar escapar. Cleveland fechou o primeiro período vencendo por apenas 27 a 23 – isso mesmo, apenas seis pontos que não foram de LeBron.

No segundo período, James precisou descansar e seu ritmo naturalmente diminuiu. Ele chegou a deixar a quadra também após um choque no rosto que sofreu quarto no fim da parcial, mas logo retornou. Porém, o time dos Cavs teve um bom momento coletivo, igualando o jogo especialmente na briga pela bola. Tristan Thompson teve papel fundamental nessa parte do confronto, ele que começou com titular dessa vez. Cleveland abriu sua maior diferença na partida nesse quarto, de 11 pontos, e foi para o intervalo com sete de frente, ligando o sinal amarelo nos celtas.

No terceiro período, porém, o cenário mudou completamente. A defesa dos Celtics trabalhou ainda mais, o time não cedeu turnovers, os Cavaliers perderam a pegada do primeiro tempo e LeBron foi discreto. Surgiu então um novo nome para fazer a diferença no ataque do time da casa: Terry Rozier. O camisa 12 segue fazendo uma pós-temporada de alto nível e converteu 14 pontos só nesse quarto. Curiosamente, essa foi a diferença de placar das equipes no período: 36 a 22 a favor de Boston.

Em um momento em que os Celtics se aproximavam para concretizar a virada, um dos lances quentes do jogo: Marcus Morris partiu pra cima e fez a cesta diante de Tristan Thompson, que fez a falta. Estaria tudo bem, não fosse por uma provocação exagerada de Morris sobre o rival, que não gostou nada da gritaria em seu ouvido. Confira abaixo.

Os Cavaliers tentaram acordar no último quarto, mas a situação já era bastante delicada. James e Love se mostravam as únicas alternativas para uma reviravolta, já que seus colegas pouco acrescentavam – no caso dos pífios Smith e Green, além de não acrescentar, atrapalhavam, com neste papelão do camisa 5, jogando sujo contra Horford e recebendo falta técnica.

No momento de maior esperança para os Cavs, o placar chegou a apontar 95 a 89 a 4:42 para o fim, numa cesta de dois de LeBron. Mas depois disso, os Celtics anotaram oito pontos seguidos com um arrasador Al Horford, que do outro lado aterrorizava a vida dos adversários defensivamente.

No fim das contas, o Boston Celtics soube administrar o jogo nos últimos minutos, não correu riscos e cravou mais uma vitória em casa na série, com 13 pontos de frente. Antes mesmo do cronômetro estourar, o pensamento de Brad Stevens e seus comandados já estava no jogo 3, no próximo sábado, em Cleveland. Podemos dizer o mesmo de LeBron James e sua trupe, que estão em sério risco na série.

>> Atualizado em 16 de maio de 2018, à 00h57.

A SÉRIE: (#2) Boston Celtics 2-0 Cleveland Cavaliers (#4)

JOGO 1: 13/5 – Cavaliers 83 @ 108 Celtics
JOGO 2: 15/5, Cavaliers 94 @ 107 Celtics
JOGO 3: 19/5, às 21h30 (horário de Brasília), em Cleveland
JOGO 4: 21/5, às 21h30 (horário de Brasília), em Cleveland
JOGO 5*: 23/5, às 21h30 (horário de Brasília), em Boston
JOGO 6*: 25/5, às 21h30 (horário de Brasília), em Cleveland
JOGO 7*: 27/5, às 21h30 (horário de Brasília), em Boston

*Jogos só acontecessem se necessário.

(Foto: Jesse D. Garrabrant/NBAE via Getty Images)

Oddsshark