The Playoffs

21/04/2017 - 02h35

Eli Manning nega participação em fraude envolvendo colecionador

Quarterback demonstrou nervosismo ao ser questionado se realmente teria cedido capacetes não usados em jogo para venda

Para quem está acostumado com “Eli face” – expressão facial na qual Eli Manning aparenta estar, no mínimo, ‘avoado’ -, dificilmente se consegue imaginar o quarterback do New York Giants expressando algum tipo de raiva. No entanto, bastou perguntarem ao experiente jogador, conhecido por sua tranquilidade, a respeito do seu suposto envolvimento em um escândalo de fraude, no qual ele teria cedido a um colecionador, para venda, um capacete não usado em jogo, que o atleta mostrou seu lado mais ríspido.

“Eu nunca fiz o que estou sendo acusado de ter feito. Estou mais zangado do que qualquer outra coisa. Eu não fiz nada de errado e ainda assim estou sendo atacado”, declarou o quarterback bicampeão do Super Bowl ao repórter Ralph Vacchiano, da SNY.

O que deu a origem a todo esse escândalo, principalmente em relação ao envolvimento de Eli, foi um e-mail enviado pelo quarterback os Giants. “Dois capacetes que podem passar como se tivessem sido usadas em jogo. É isso. Eli.”, dizia a mensagem que teria sido mandada pelo jogador de 36 anos para o gerente de equipamentos da franquia de New York, Joe Skiba.

A equipe saiu em defesa de seu atleta e disse que a mensagem foi interpretada fora de seu contexto original, e criticou a Skinner Sports, negociante de ‘produtos históricos’ do ramo e que move ação judicial contra Eli Manning após o escândalo vir à tona. Muitos dos repórteres presentes na coletiva da última quinta-feira (20) disseram que tinham visto poucas vezes o quarterback tão sobressaltado.

Crédito da Foto: Divulgação/New York Giants.