08/11/2018 - 19h04

O ressurgimento do Houston Texans na temporada 2018 da NFL

Time saiu de uma campanha 0-3 para 6-3 e surge como favorito dentro da AFC South

Difícil imaginar que uma equipe da NFL com início 0-3 consegue se recuperar no decorrer na temporada – e ter chance de playoffs. Entretanto, o Houston Texans está quebrando esse paradigma. Nas primeiras três semanas de 2018, a equipe foi derrotada por New England Patriots, Tennessee Titans e New York Giants, e todas por margens pequenas de pontos – sete, três e cinco, respectivamente – indicando uma certa dose de azar, dando sinais de recuperação.

A partir de 30 de setembro, a tendência de melhora se concretizou. Houston superou o Indianapolis Colts e o Dallas Cowboys na prorrogação, e começou a deslanchar com triunfos por maior vantagem: Buffalo Bills (por sete), Jacksonville Jaguars (13) e Miami Dolphins (19). Na última semana, a equipe sofreu um pouco para bater o Denver Broncos, fazendo 19 a 17.

Saber ser eficiente foi a chave para o time do Texas subir ao longo das últimas semanas. Apesar de ter avançado menos desde a quarta rodada, eles estão aproveitando melhor as oportunidades de pontuar: a média de pontos cresceu 33,1%, enquanto a de jardas desceu 10,3%. Já o número de jardas por ponto caiu de 20,2 para 13,6.

A evolução de Deshaun Watson foi fundamental para esse processo. Nas primeiras partidas, Watson completou apenas 59,4% dos passes, com cinco touchdowns e três interceptações e quarterback rating de 89.8. A partir do fim de setembro, ele acertou cerca de 68,2% das tentativas, 12 touchdowns aéreos (média de 2 por partida contra 1,7) e quatro interceptações (0,7 de média contra 1) e rating de 107.3.

O jogo corrido dos Texans é o 11º colocado em jardas por partida e diminuiu proporcionalmente nos confrontos mais recentes, porém conseguiu entrar mais na end zone. Até o terceiro confronto, Houston teve apenas um touchdown anotado, mas nos seguintes fez três.

No lado defensivo da bola, quase aconteceu o mesmo processo do ataque: diminuição na quantidade de pontos, mesmo que a de jardas cedidas não tenha caído tanto assim – apenas 6%. A secundária diminuiu a eficácia dos passadores adversários, com o rating caindo de 119.9 para 82.9, e a taxa de touchdowns e interceptações, de 7 e 1 para 9 a 6.

A defesa contra o jogo corrido segue como uma das melhores da liga, diminuindo consideravelmente o território conquistado pelos running backs adversários.

O ressurgimento dos Texans, da forma que está ocorrendo, é muito difícil de acontecer na história da liga. A campanha média das equipes que começam o ano com recorde 0-3 é 5-11 – desde 1970 -, sendo que, das 213 que iniciaram a temporada dessa forma, só cinco (2,3%) foram aos playoffs. O Buffalo Bills de 1998 foi o último time a alcançar essa façanha, e o melhor foi o San Diego Chargers de 1992, com 11-5, o qual começou com campanha 0-4.

Houston Texans vai descansar durante a semana 10 da temporada, porém já podemos considerar admirável o progresso da equipe após o início negativo, com a melhora de Deshaun Watson e da defesa como um todo. As chances de os Texans irem à pós-temporada é considerável: 78% de acordo com o PlayoffStatus.com; 85,7% no Football Outsiders e 72% para o FiveThirtyEight.

Fotos: Houston Texans/Site Oficial; Divulgação Instagram/Houston Texans

*Por Luís Martinelli

Acesse o blog Nas Entrelinhas do Jogo para ler mais análises: nasentrelinhasdojogo.wordpress.com e fique por dentro nas redes sociais: FacebookTwitter e Instagram.

As opiniões neste artigo são de total responsabilidade do autor e não expressam, necessariamente, a visão do portal The Playoffs.

Oddsshark