07/11/2018 - 20h15

Os 10 melhores jogadores do College Basketball 2018/2019

Barrett parece sair na frente no posto de melhor jogador, mas outros nomes prometem lutar pelo título

R.J. Barrett é um dos melhores jogadores da NCAA

Nesta semana a bola voou e teve início a temporada do College Basketball 2018/2019. A número 1 do ranking de pré-temporada, Kansas, estreou com vitória sobre #10 Michigan State. Porém, o grande feito da noite parece ter sido de #4 Duke, que atropelou #2 Kentucky, com ótimas exibições dos calouros cinco estrelas comandados por Coach K.

O The Playoffs soltou uma prévia com os 10 melhores times da temporada. Chegou a hora de sabermos quem são os dez jogadores que você precisa ficar de olho durante a temporada, já pensando também no próximo Draft da NBA. Em 2017/2018, Jalen Brunson, antigo armador de Villanova, foi considerado o melhor jogador do ano. Quem será que pode tomar a coroa de rei do College Basketball?

Alguns nomes surgem rapidamente: R.J. Barrett, Zion Williamson e Cam Reddish, atletas de Duke, são sempre citados. Entretanto, a concorrência é pesada. Carsen Edwards, Nassir Little, Caleb Martin, Romeo Longoford são nomes que não se pode perder de vista. Isso sem falar em jogadores que não apareceram na lista abaixo, mas merecem menção honrosa como: De’Andre Hunter (Virginia), Tremont Waters (LSU), Rui Hachimura (Gonzaga) e Ethan Happ (Wisconsin).

Os 10 melhores jogadores da temporada 2018/2019 do College Basketball:

1. R.J. Barrett (SG/SF, Duke)

O canadense é um verdadeiro fenômeno. Quer um exemplo? Pegue toda a campanha que ele fez com seu país natal no último Mundial sub-19. Foi pelas mãos de Barrett (foto), MVP do torneio, que o Canadá alcançou o título, inclusive batendo os EUA nas semifinais. Naquele jogo, o ala encarou futuros rivais e colegas na NCAA como Carsen Edwards, Cam Reddish, PJ Washington e simplesmente acabou com o jogo. Foram 38 pontos e 13 rebotes na conta.

É difícil encontrar falhas no jogo do atleta. É pule de dez como provável first pick do próximo Draft da NBA. Atlético, consegue pontuar, seja à distância, seja criando espaços com infiltrações que desmoralizam os defensores. Williamson é quem chama o show para si com jogadas realmente espetaculares por Duke. Mas olho em Barrett que deve ser o fiel da balança caso o time consiga alcançar o título nacional em março.

2. Carsen Edwards (PG, Purdue)

Edwards foi uma das ótimas surpresas da temporada passada. O jogador não era tão cotado entre os melhores, mas conseguiu encaixar ótimos jogos e uma regularidade muito boa nos arremessos com 51% de aproveitamento.

O armador chegou a cogitar participar do Draft, mas desistiu e se comprometeu mais um ano com os Boilermakers. É um dos melhores armadores do país, sendo que para alguns, é o melhor desta classe. Porém, a falta de bons jogadores ao seu lado no elenco de Purdue pode fazer com que o jogador seja muito marcado em todo o ano.

3. Zion Williamson (PF, Duke)

Bom, não tem muito mais o que falar de Williamson, certo? Uma estreia verdadeiramente monstruosa, que deixou inúmeras pessoas em choque, tamanha a facilidade com que roubava bolas, protegia o aro e até mesmo marcava os pontos contra o bom time de Kentucky.

É com certeza um dos atletas que chega à NCAA com mais fama, devido às enterradas plásticas que conseguiu no high school. Dono de uma leitura ímpar e de certa agilidade, apesar do peso. Espere grandes jogadas do ala-pivô durante a temporada, como essa aqui.

4. Nassir Little (SF, North Carolina)

Desde o Draft de Harrison Barnes, em 2012, North Carolina não sabe o que é ter um jogador de suas fileiras escolhido entre as 10 primeiras posições na seleção do basquete profissional americano. Essa história deve acabar com a chegada de Little. O ala pode ser a pedra no sapato do trio de Duke no recrutamento da NBA do próximo ano, aparecendo entre os três primeiros.

Little é muito talentoso. Apesar da estreia tímida, na vitória de UNC contra Wofford, quando atuou por apenas 20 minutos e marcou 7 pontos, possuiu ótima envergadura. Se Luke Maye sai na frente como o centro das atenções nos Tar Heels, não se surpreenda se o calouro assumir o protagonismo no March Madness.

5. Caleb Martin (SF, Nevada)

Martin é uma das inúmeras transferências de jogadores de Nevada, tendo vindo de NC State, onde obteve ótimas médias de 18,9 pontos e 5,4 rebotes por jogo. Uma de suas forças é o bom chute de três pontos, onde conseguiu 40% de aproveitamento na antiga universidade.

Sua capacidade ofensiva é elogiável, já que mesmo com espaço ínfimo, pode pontuar com tranquilidade. Terá ao lado seu irmão gêmeo Cody, que complementa o estilo de jogo de Caleb. Na estreia por Nevada, anotou 21 pontos na vitória do Wolf Pack contra BYU.

6. Grant Williams (PF, Tennessee)

Williams chega para seu terceiro ano na NCAA como um dos mais dominantes jogadores de garrafão do College Basketball. Na temporada passada, recebeu o prêmio de melhor jogador da SEC. Olho na grande capacidade que Williams tem de conseguir rebotes no ataque.

A expectativa é que Williams mantenha suas médias que em 2017/2018 foram de 15,2 pontos e seis rebotes por jogo. É nele que os Volunteers depositam as esperanças de dias melhores e de ir mais longe na pós-temporada em março.

7. Cameron Reddish (SG/SF, Duke)

O último dos novatos estelares de Duke a aparecer no ranking, Reddish não fica muito atrás de Barrett ou Williamson. Tanto que se pode ver na estreia do time contra Kentucky, mesmo com as ações sendo monopolizadas pela dupla, Cam conseguiu deixar 22 pontos ao sair de quadra.

Em muitos outros times do College, Reddish seria a primeira opção para finalizar as jogadas. Como Duke possui diversos jogadores que podem fazer isso, o ala-armador pode conseguir valiosos espaços em quadra. Precisa ficar atento à regularidade, nada que um pouco de experiência durante o ano não o ajude.

8. Luke Maye (PF, North Carolina)

Se Little é a esperança de um talento a ser lapidado, Maye já é uma realidade na rotação de Roy Williams. Indo para seu quarto ano na NCAA, obteve médias de 16,9 pontos, 10,1 rebotes e 43% de aproveitamento nas bolas de três, o que faz do jogador um verdadeiro perigo para qualquer defesa.

9. Dedric Lawson (Kansas)

Lawson retorna à NCAA após perder elegibilidade por ter se transferido de Memphis para Kansas após dois anos atuando pelos Tigers. Agora, um dos jogadores de maior potencial do College está num dos melhores times do College. Essa combinação pode ser explosiva no sentido de fazer Lawson uma verdadeira estrela em 2018/2019.

Quando passou por Memphis, obteve médias de 19,2 pontos por jogo. Na estreia de Kansas, contra Michigan State, já deixou sua marca com 20 pontos e 14 rebotes. Bill Self tem um potencial melhor jogador do ano nas mãos para fazer com que Kansas vá longe na temporada.

10. Romeo Langford (SG, Indiana)

Langford foi um dos prospectos mais exaltados durante a temporada de assinaturas com as universidades. Indiana fez uma verdadeira festa pela aquisição do armador que possui extrema habilidade e pode ser uma dos principais pontuadores do ano. O fato de ter recusado fazer parte do time de Kansas para se tornar um Hoosier e jogar em seu estado natal faz com que o hype em cima dele seja altíssimo. É muito criativo no momento de pontuar. Pode surpreender muita gente.

Foto: Twitter / Duke

Oddsshark