17/12/2018 - 15h04

A corrida para o prêmio de MVP da NBA 2018/2019 – mês 2

Top-2 permanece; mesmo com menos jogos, Curry avança; confira as novidades de nosso ranking

Antetokounmpo lidera vitória dos Bucks sobre os KingsPassados 20 dias da publicação da primeira parcial de nossa corrida para o prêmio de MVP da temporada 2018/2019, seguimos com uma nova atualização hoje. Também, nesta semana, já publicamos as continuidades das outras duas novidades do The Playoffs para os fãs da NBA: o Power Ranking e o ranking dos calouros.

Novamente lembrando que o levantamento abaixo considera tudo o que vimos na temporada até aqui e faremos a atualização mensal deste ranking, afinal, muita coisa muda de 30 em 30 dias na NBA. Além da minha opinião particular e das estatísticas individuais, levamos em conta os critérios da própria liga para a eleição do jogador mais valioso da temporada, que nem sempre são os mesmos dos fãs.

Confira abaixo a lista após cerca de dois meses da temporada. A próxima sai daqui aproximadamente um mês, no meio de janeiro de 2019.

OBS: as estatísticas abaixo foram registradas até a rodada de 15 de dezembro de 2018.

(Foto: Reprodução Twitter / NBA)

#1 – Giannis Antetokounmpo – Milwaukee Bucks (posição anterior: #1)

Jogos: 26 de 28 possíveis (93%)
Médias: 26,6 pontos (+0,3 ponto), 13,2 rebotes (+0,3 rebote), 6,1 assistências (+0,3 assistência), 1,3 toco (+0,0 roubo)

Antetokounmpo iniciou a temporada voando no comando de um time que se mostrou uns melhores da liga até aqui. Nesta segunda parcial, porém, o time andou derrapando e, enquanto Giannis esteve em quadra, foram cinco derrotas e cinco vitórias, mesmo com a onipresença do grego, que domina as ações do time do Wisconsin.

No período, Antetokounmpo teve 27 pontos, 13,6 rebotes e 6,6 assistências de média, com incríveis 62,7% de aproveitamento nos arremessos de quadra, fruto de suas ferozes investidas e jogadas embaixo do garrafão. Na contramão do jogo de arremessos de fora da atualidade, o Greek Freak tem péssimos 13,3% de aproveitamento nesta temporada, mas tenta apenas 2,3 vezes por partida, sabendo de sua deficiência no perímetro.

Ótimo fato no período sobre Antetokounmpo é que ele teve cinco jogos de mais de 30 pontos, sendo um de 44 (maior marca pessoal da temporada), em vitória sobre o Cleveland Cavaliers na última rodada de Milwaukee.

#2 – LeBron James – Los Angeles Lakers (posição anterior: #2)

Jogos: 29 de 29 possíveis (100%)
Médias: 28,2 pontos (-0,7 ponto), 7,8 rebotes (-0,3 rebote), 7,1 assistências (+0,2 assistência), 1,3 roubo (-0,1 roubo)

Desde nossa última parcial até aqui, o Los Angeles Lakers jogou 12 partidas e venceu oito, consolidando a sexta melhor campanha do período e uma das grandes ascensões da temporada até aqui. Muito disso por causa de LeBron James, que, com performances dominantes, guiou o time, com problemas de lesão, até uma situação de briga pelo mando de quadra nos playoffs da Conferência Oeste.

O ataque dos Lakers não é dos melhores da liga até este momento, porém a defesa combativa resolve os problemas. No período, LeBron tem médias 27,2 pontos 7,3 assistências e 7,3 rebotes, constante em relação a sua temporada até aqui, o bastante para colocar os Lakers entre os temidos do Oeste com sua mistura de experiência e juventude.

Sendo a maior sequência de ascensão da NBA até aqui, LeBron, como o maior comandante desta guinada, merece manter-se como o maior perseguidor de Antetokounmpo até aqui.

#3 – Stephen Curry – Golden State Warriors (posição anterior: #4)

Jogos: 19 de 30 possíveis (63%)
Médias: 29,3 pontos (-0,2 ponto), 5,7 assistências (-0,4 assistência) e 5,2 rebotes (+0,2 assistência)

Pesa contra Curry nesta temporada sua larga ausência devido aos problemas de lesão na panturrilha. Com ele em quadra, os Warriors, definitivamente, são outro time e ele poderia encabeçar a lista caso tivesse jogado pelo menos 90% das partidas de Golden State. Sem ele, os Warriors estão 5-6, com ele, a franquia tem a campanha de 15-4.

Segundo maior cestinha da temporada até aqui, Steph tem no seu arremesso o maior trunfo para se solidificar na briga pelo terceiro MVP da carreira. São 50,3% de arremessos de quadra convertidas e incríveis 48% nas bolas de três, o que faz a diferença para os Warriors vencerem os jogos. No período desta segunda parcial, Curry chutou 46,2% de três e venceu cinco das sete partidas que jogou com os Warriors.

#4 – Kawhi Leonard – Toronto Raptors (posição anterior: #3)

Jogos: 23 de 31 possíveis (74%)
Médias: 26,2 pontos (+2,0 pontos), 8,2 rebotes (+0,0 rebote), 1,8 roubo (+0,0 roubo)

Depois de um começo avassalador, como o melhor time da NBA, os Raptors tiveram uma leve queda desde a parcial anterior até aqui, ainda que se mantendo no topo do Leste com relativa tranquilidade. Kawhi segue em um nível muito alto e é, de fato, o grande líder de um dos grandes times. Novamente pesa contra o astro ex-Spurs as ausências em algumas partidas para sua preservação física.

No período desta parcial, Kawhi foi o quinto cestinha da liga, com 28,9 pontos de média e 50,3% de aproveitamento nos arremessos de quadra. O ala fica atrás de Curry nesta parcial devido ao aproveitamento de arremessos do rival, que está em outro nível, e à contribuição que o armador do time californiano tem para as vitórias do seu time. Junto com os Raptors, Kawhi tem tudo para crescer na corrida para o MVP daqui até o fim da temporada.

(Foto: Divulgação)

#5 – Kevin Durant – Golden State Warriors (posição anterior: #8)

Jogos: 30 de 30 possíveis (100%)
Médias: 29,0 pontos (+1,8 ponto), 7,7 rebotes (+0,2 rebote), 6,2 assistências (+0,3 assistência)

Durant subiu na classificação devido ao crescimento em sua produção revelado pelas noites ausentes de Curry. KD é quem puxa o carro na ausência do motor dos Warriors e o ala deu conta quando necessário. No período, Durant subiu em todas suas estatísticas pessoais totais da temporada, principalmente nos 1,8 ponto a mais, que o alçou ao terceiro cestinha até aqui.

No período avaliado para esta parcial, KD tem a segunda maior média de pontos (32,1 pontos), atrás apenas de James Harden, com ótimos 52,2% de aproveitamento nos arremessos de quadra. Ele teve papel fundamental nos 11 jogos dos Warriors do período, arrancando a campanha de 8-3, com direito a seis jogos de pelo menos 30 pontos, incluindo a sequência ótima de três jogos com ao menos 40 pontos, sendo um de 51.

#6 – Anthony Davis – New Orleans Pelicans (posição anterior: #5)

Jogos: 26 de 30 possíveis (87%)
Médias: 28,1 pontos (+1,5 ponto), 12,4 rebotes (-0,3 rebote), 2,8 tocos (-0,1 toco), 1,7 roubo (+0,1 roubo)

Anthony Davis perdeu a posição para KD mais pela ascensão do rival do que, necessariamente, uma queda em sua produção. Pelo contrário, Davis está contribuindo mais em pontos do que na primeira parcial, mas segue sofrendo pela falta de profundidade no elenco, que não ajuda o time a ter mais consistência na busca por melhor posição no forte Oeste.

No período desta segunda parcial da corrida, AD está como terceiro maior pontuador, com 30,1 pontos, além de 12 rebotes, dominando as ações ofensivas e defensivas de garrafão do time da Louisiana. Para subir no ranking de favoritos ao MVP, o ala-pivô, que é presença constante nas rodas de conversa, precisaria conseguir vencer mais jogos com os Pelicans para subir na classificação do Oeste. Pelo critério da NBA, dificilmente um time que não esteja mostrando-se competitivo fornece o MVP da temporada, mesmo que este seja Davis, um dos melhores jogadores da atualidade.

#7 – Joel Embiid – Philadelphia 76ers (posição anterior: #7)

Jogos: 29 de 31 possíveis (93%)
Médias: 27,0 pontos (-1,1 ponto) , 13,6 rebotes (+0,2 rebote), 1,9 toco (-0,2 toco)

É notável a queda de rendimento ofensivo de Embiid frente à chegada de Jimmy Butler ao elenco dos 76ers, o que era muito de se esperar. A equipe, ao contrário, segue em crescimento no Leste e acumula a campanha de 7-3 nos últimos dez jogos.

Embora as médias pessoais de Embiid tenham caído no acumulado da temporada até aqui, seu impacto no sucesso de Philadelphia é imenso ao lado de Ben Simmons e o próprio Butler. A produção ofensiva ainda é extremamente importante dentro da equipe, mas é na defesa que o camaronês tem seu grande trunfo, sempre disposto, intenso e inteligente na marcação embaixo do garrafão e ágil para cobrir as trocas. No período desta segunda parcial o que marca é o posto de 13º em pontuação, com 24,4 pontos por jogo.

#8 – Paul George – Oklahoma City Thunder (posição anterior: não ranqueado)

Jogos: 28 de 28 possíveis (100%)
Médias: 24,9 pontos, 7,8 rebotes, 2,1 roubos

Fora do top-10 no primeiro mês da corrida para o prêmio de MVP, Paul George é o grande responsável por levar OKC à terceira melhor campanha do Oeste neste momento. Depois de um início 0-4, o time vem com 18-6 e muito disso por obra do ala, incluindo bom poder de decisão em algumas partidas decididas nos últimos minutos.

Ótimo defensor (tem a segunda maior média de roubos de bola por partida na temporada), o George tem provado no ataque que merece entrar na corrida, liderando OKC no forte Oeste até à frente de Russell Westbrook. Em dezembro, o ala teve quatro jogos de pelo menos 30 pontos, incluindo uma partida de 47, com quatro vitórias. Presente em todos os jogos da equipe, coube a ele levar o Thunder a vitórias na ausência de West, que esteve de fora por problemas de lesão de oito jogos.

(Foto: Reprodução Twitter/Oklahoma City Thunder)

#9 – James Harden – Houston Rockets (posição anterior: #10)

Jogos: 25 de 28 possíveis (89%)
Médias: 30,9 pontos (+1,9 ponto), 8,3 assistências (+0,8 assistência), 2,0 roubos (-0,5 roubo)

O desempenho dos Rockets com Harden em quadra, campanha de 13-12, colocaria a franquia texana na beira da disputa pela oitava posição do Oeste, mas esta não é a realidade. O equilíbrio do Oeste faz com que uma vitória, neste momento, faça um time mudar até duas ou três posições em uma rodada, mas o fato é que Houston, na temporada passada, estava na briga pelo topo.

Harden assumiu o posto de cestinha da temporada com seus 30,9 pontos (bons 45,4% de aproveitamento nos arremessos de quadra), fato que vem acompanhado do maior volume de arremessos entre todos da liga (20,4 tentativas por jogo). Mesmo a defesa de Harden está melhor esta temporada, ainda que Houston em si esteja bem ruim no quesito. Assim, os Rockets não conseguem embalar vitórias e subir na classificação e é por essa razão que o barba não tem uma subida maior na corrida, tal qual Anthony Davis.

#10 – Nikola Jokic – Denver Nuggets (posição anterior: não ranqueado)

Jogos: 28 de 28 possíveis (100%)
Médias: 17,4 pontos, 10,0 rebotes, 7,6 assistências

Jokic pinta pela primeira vez no top-10 da corrida para o MVP depois de guiar os Nuggets à primeira posição do Oeste. Ainda que os Nuggets tenham um time muito bem treinado, vale lembrar que o sérvio é papel fundamental para o sucesso, como um pivô extremamente habilidoso para passar e com um arsenal ofensivo invejável.

Suas médias de 17,4 pontos, 10 rebotes e 7,6 assistências chegam perto de um triple-double e mostram bem o quão valioso o pivô é para a melhor campanha do Oeste. Nos últimos dez jogos, que representam o período desta segunda parcial da corrida para Denver, Jokic acumulou 17,7 pontos, 9,7 rebotes e 8,7 assistências e auxiliou a franquia a chegar em 8-2 e assumir a liderança. O melhor jogador do melhor time da conferência mais difícil não tem como ficar de fora da conversa da disputa do prêmio de melhor jogador da temporada regular.

Menções honrosas (nomes que podem integrar os próximos rankings)

Kyle Lowry – Toronto Raptors
Tobias Harris – Los Angeles Clippers
Russell Westbrook – Oklahoma City Thunder
Blake Griffin – Detroit Pistons
Damian Lillard – Portland Trail Blazers
Mike Conley – Memphis Grizzlies

Oddsshark